Teatro de Vila Real: Samuel Úria, Paulo Gonzo, Janeiro, Ana Moura e Capicua sobem ao palco no 1º trimestre de 2021

No primeiro trimestre de 2021 o Teatro de Vila Real mantém-se na sua missão de assegurar à comunidade que serve, com particular relevo nas actuais circunstâncias de pandemia, propostas e estímulos para uma vivência cultural de qualidade e eclética.

O pressuposto de uma programação regular neste contexto singular traduz-se também num apoio à criação artística, alimentando assim uma relação simbiótica entre partes que se complementam, o público e os criadores.

As condicionantes que ainda serão prevalecentes implicam alguma reestruturação de calendários e ciclos de programação para que a fruição artística seja consentânea com a segurança de todas as pessoas — o que, de resto, foi evidente ao longo dos últimos meses.

Assim, neste primeiro período do ano interrompem-se festivais como o FAN e o Boreal, sem que, contudo, se percam os géneros artísticos que lhes correspondem. De facto, e pensando no FAN, o trimestre tem momentos importantes de música clássica distribuídos pelo calendário, assegurados pela Musicamera com a Sinfonietta de Braga, a Camerata Atlântica e o Quarteto de Cordas de Matosinhos (integrado no espectáculo da Companhia Paulo Ribeiro). Nas datas que seriam as do Boreal realizam-se dois concertos que marcarão certamente esse fim-de-semana, com Paus e Miramar (Franckie Chavez e Peixe).

A música moderna tem outros artistas de relevo do panorama nacional: Samuel Úria, Paulo Gonzo, Janeiro (com Ana Moura como convidada) e Capicua.

O teatro e a dança trazem ao Teatro de Vila Real espectáculos de companhias como Teatro do Mar, ESTE, Marionetas do Porto, Danç’arte, Visões Úteis e Ninguém (que assinala o Dia Mundial do Teatro com a peça ‘O Triciclo’, de Fernando Arrabal). O Teatro da Rainha associa-se à produtora blablaLab intergalactic para revisitar uma peça de Alvaro Garcia de Zúñiga, e José Pedro Gomes contracena com Ana Bola em ‘Casal da Treta’, sequela de um clássico do teatro português, ‘Conversa da Treta’. A Companhia Paulo Ribeiro, sob direcção de São Castro e António M Cabrita, juntou-se ao Quarteto de Cordas de Matosinhos para coreografar os últimos quartetos de cordas de Beethoven.

Por fim, uma referência ao cinema, que tem no trimestre 10 sessões de uma cinematografia diversificada e internacional.

Recordamos que neste período deve ainda ser dada prioridade à aquisição de bilhetes online, através da Ticketline ou com pagamento por transferência bancária. Esta é apenas uma das várias medidas que dão plena razão de ser à mensagem: É Seguro Ir ao Teatro!

Menu