Rotary Club de Vila Real entregou equipamento de proteção individual em instituições sociais


Durante o período inicial de pandemia, o Rotary Club de Vila Real viu aprovada uma candidatura apresentada pelo Conselho Diretor 2019/2020 à Fundação Rotária Portuguesa (FRP), para apoiar os Clubes Rotários nacionais no combate à Covid-19. A candidatura visa financiar projetos em várias áreas, deste a proteção de profissionais a fornecimentos de bens e equipamentos a instituições hospitalares e de solidariedade social, sobretudo as que trabalham com idosos.

A Presidente do Rotary Club de Vila Real, Cláudia da Fonseca Guedes, face às notícias preocupantes que chegavam de países vizinhos europeus, desde logo estabeleceu com o Município de Vila Real um protocolo para que em conjunto se fizesse face às dificuldades da falta de equipamentos de Proteção Individual sentidas nas IPSS e demais instituições que estão na primeira linha da luta contra a Covid 19. Reconhecendo que o resguardo e prevenção é o mais importante para travar a proliferação do vírus, conjuntamente com a vice-presidente do Município de Vila Real, Eugénia Almeida, entregaram junto das instituições equipamentos de proteção individual.

Durante o mês de março o Rotary Club de Vila Real com receitas próprias tinha já entregue material EPI ao Hospital de S. Pedro em Vila Real, Bombeiros Voluntários e a APC de Vila Real, continuando a prossecução do esforço para mitigar o contágio apoiando instituições como a PSP, a Proteção Civil, a GNR e os Bombeiros Voluntários da Cruz Verde e da Cruz Branca vitais que estão na primeira linha desta luta pandémica. Com a candidatura à Fundação Rotária Portuguesa foram apoiadas também as IPSS: Florinhas da Neve – Santa Casa da Misericórdia; APCC Vila Real; Cadeia de Vila Real; Centro Social e Paroquial de Constantim; Associação Paz e Amizade; Centro Social e Paroquial de Torgueda; Nós Cuidamos; ACAPO; Cáritas – Projeto Homem; Refood; Residência Sénior D. Rodrigo e Associação Via Nova. A conclusão deste projeto terminou no dia 19 de maio com o auxílio dos Serviços de Ação Social Municipal e a colaboração de duas voluntárias, Inês e Sofia Neto.

Foi um esforço conjunto para equipar devidamente as instituições que surgem como primeiro foco de possível contaminação, no contexto de uma potencial ameaça ou perante uma emergência de saúde pública; a vigilância epidemiológica é fundamental para detetar precocemente os casos, monitorizar a evolução da epidemia para orientar as estratégias e as medidas de saúde pública, assim como para avaliar o impacto das intervenções mitigando eventuais riscos de transmissão com a utilização de EPI’s.

O Rotary Club de Vila Real, nos seus 53 anos de existência, estará sempre disponível para apoiar Vila Real colmatando as dificuldades dos mais desprotegidos e acautelando as populações. A preparação e a resposta a uma pandemia são processos complexos que necessitam de esforços coordenados dos diferentes setores e da colaboração de todos os parceiros.

Partilhar:

Menu