Quintas do Douro: Quinta do Pôpa, um espaço dedicado à família

Várias Quintas situadas à beira do emblemático rio Douro notaram a alteração no fluxo dos visitantes às suas instalações. Uma procura por parte dos turistas à qual as quintas procuram respondem com serviços e espaços de qualidade.

Uma delas é a Quinta do Pôpa, uma propriedade dos irmãos Stéphane e Vanessa Ferreira, aberta desde 2012, com o objetivo de concretizar o sonho do seu pai que adquiriu o espaço em 2003. Esta quinta, situada na famosa estrada nacional nº 222, em Adorigo, no concelho de Armamar, tornou-se uma das melhores referências do Douro graças às suas vistas para o rio. Uma característica que atrai, anualmente, 2600 visitas. Um número que, segundo Vanessa Ferreira, é considerável: “Isto foi evoluindo muito, mesmo muito. Começámos com pouquíssimas garrafas e, neste momento, estamos a atingir quase as 100 mil. A nível do ecoturismo também crescemos. Começamos com visitas periódicas ao fim de semana e hoje já estamos abertos a full-time. No ano passado, tivemos uma média de 2600 visitantes, portanto, para uma adega que só recebe casais e famílias, ou seja, não recebe grupos, já é um número considerável”.

Todavia, não são apenas as vistas que chamam os turistas. A Quinta do Pôpa oferece um conjunto de produtos e serviços que aliciam qualquer cliente. De entre esses, destaca-se uma técnica de vinificação tradicional que, apesar de encarecer o vinho, o destaca devido à sua qualidade. “A aposta que fizemos nos vinhos DOC, que no início foi bastante difícil, teve grandes frutos. Mantemos a qualidade, a originalidade e tipicidade do «terroir», e prevalecermos técnicas de vinificação tradicionais o que obrigatoriamente encarece os vinhos, mas fincamos nesse pé e agora sim, estamos a ter muito bons resultados”. Dessa produção tradicional, resultam os vinhos da Pôpa Selection, “o porta-bandeira” da quinta, o vinho doce, entre outros.

Uma outra característica que diferencia esta quinta das restantes é o facto de apenas receber famílias e casais, como nos explicou a coproprietária: “O nosso foco é manter esta estrutura familiar. Queremos, sim, receber os locais, não só turistas internacionais, mas também os locais. As nossas instalações estão preparadas para receber, principalmente, famílias, casais e até com a companhia dos animais”.

Famílias estas que, para além de provar o vinho, poderão realizar um piquenique com alimentos sem glúten e sem lactose. Uma nova aposta da Quinta que procurar adaptar-se aos hábitos e restrições dos visitantes.
Para o futuro, o novo passo será a produção de azeite. Um tempero que será, ainda este ano, incluído no menu dos piqueniques.

Ouça aqui o podcast da Universidade FM:

Partilhar:

Menu