A Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD), em parceria com o município de Vila Real e da empresa municipal Vila Real Social, vão implementar, pelo segundo ano consecutivo, o programa “Dá-me sete horas aos meus sete dias”.

Após o sucesso do programa-piloto realizado no ano anterior, a AAUTAD avança novamente com um programa de apoio a pessoas e famílias do concelho de Vila Real que precisem de ajuda a nível social e psicológico, de saúde familiar primário e outras necessidades.

Devido ao interesse e procura que o projeto teve no ano transato, nesta segunda edição, todos os alunos da UTAD poderão inscrever-se e participar.

“No ano passado, visto tratar-se de um projeto-piloto, optamos por abrir as inscrições apenas a alunos de cursos ligados às áreas de ação e inclusão social e saúde, no entanto e dado o número crescente de alunos de todas as áreas que querem participar e ajudar de alguma forma as pessoas e famílias que mais precisam, decidimos alargar as inscrições a todos”, explicou António Vasconcelos, presidente da AAUTAD.

O dirigente explica que no ano passado existia uma visão diferente daquilo que poderia ser este projeto, que passava por “colmatar uma lacuna mais na área da saúde e psicologia”, no entanto, a realidade que encontraram foi outra.

“No terreno deparámo-nos com muitas situações de solidão e ausência de afeto, daí que achamos por bem alargar o âmbito do programa, abarcando todos os estudantes que queiram participar, independentemente da área de estudo, mas que tenham essa vontade e a consciência social de ajudar o próximo e que queiram fazer a diferença”, explico António Vasconcelos.

O Programa social “Dá-me sete horas aos meus sete dias” vai concretizar a sua segunda edição a partir de 15 de março.