Quando se assinala o centenário da 1ª Guerra Mundial, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) realiza um Congresso Internacional subordinado ao tema “Portugal na (e no tempo da) Grande Guerra”. Será nos próximos dias 19 e 20 de abril, com a participação de investigadores das áreas de estudos culturais, artes, religião, estudos militares, ciências da comunicação, história, entre outras.

Tratando-se do primeiro conflito armado à escala mundial que viria a alterar, de forma definitiva, a história cultural dos povos, o Departamento de Letras, Artes e Comunicação da UTAD, responsável pela organização, considerou pertinente a necessidade de um debate aprofundado sobre o tema, em especial pelas suas implicações em Portugal.

É lembrado, a propósito, pelos organizadores que a participação portuguesa na batalha de La Lys, a 9 de abril de 1918, “marcou social e culturalmente um Portugal recém-saído de uma alteração de regime, ainda a braços com a sua nova realidade política e a viver as primeiras incidências das aparições de Fátima e a pedrada no charco protagonizada pela geração de Orfeu”.

Assim, cem anos depois ainda é pertinente perguntar: Que marcas culturais e sociais deixou a Grande Guerra em Portugal? Como foi vista e vivida a Grande Guerra (na Europa, mas também nas então colónias portuguesas africanas) em Portugal? Que receção fez o mundo da cultura, das artes e da imprensa ao tema da guerra e qual a perceção da Grande Guerra nas localidades do interior do país? Como se projetou a Grande Guerra no futuro, militar, política e culturalmente? Perguntas para as quais se esperam as respostas dos investigadores neste congresso.