Está praticamente concluído o levantamento dos criativos do Douro, uma ação inserida no Douro Creative Hub, um projeto promovido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – UTAD – que pretende identificar, dinamizar e promover as Indústrias Criativas da NUTS III Douro.

Todos os concelhos dos 19 municípios que integram a NUTS III Douro estão praticamente “levantados”, sendo que existem ainda alguns onde está a ser  concluída a recolha de informação e, noutros, a validar-se a informação recebida.

Nos 19 municípios foram identificados 460 criativos por conta própria, artesãos, empresas, associações, projetos e equipamentos culturais e instituições de ensino com cursos ligados às Indústrias Criativas. Desses já foram entrevistados e registados fotograficamente 230 casos.

No próximo dia 5 de dezembro, no Museu da Vila Velha em Vila Real, o Douro Creative Hub vai apresentar publicamente um esboço do documento estratégico para a criação de um Polo de Indústrias Criativas, baseado nos dados recolhidos no levantamento dos criativos, ficando a proposta preliminar disponível para consulta pública. “Após mais de 6 meses de levantamento, identificação e caracterização dos criativos do Douro, este trabalho encontra-se na fase final de conclusão pelo que importa ouvir os próprios criativo sobre algumas das observações, informações e considerações”, refere João Calejo, da UTAD, gestor do projeto. Por isso, espera-se que no dia 5 de dezembro se consiga reunir “um vasto conjunto de pessoas que possam refletir com a equipa que procedeu a este trabalho, num documento base e estratégico para o que possa vir a ser o futuro das Industrias Criativas no Douro”, conclui.

O projeto Douro Creative Hub surgiu em 2017 na sequência de um desafio lançado “pela sociedade civil” à UTAD, para a apoiar na criação de um Pólo de Indústrias Criativas. “A UTAD respondeu positivamente dando corpo e cofinanciando (com o apoio do NORTE 2020) o projeto Douro Creative Hub, que visa, além de dinamizar as Industrias Criativas na região, criar um conjunto de informações base que possam ajudar à constituição desse Polo. Cabe agora aos criativos da região decidirem do interesse, modelo, e pertinência de tal “estrutura”, pelo que esta é a fase de “devolver” aos criativos da Região do Douro o seu desafio”, refere João Calejo.

O levantamento dos criativos do Douro vai constar de um livro que será apresentado e distribuído gratuitamente durante o Mercado Criativo em Março de 2019, outra das ações do Douro Creative Hub, e estará disponível para consulta na página do projeto em 2019, em www.dourocreativehub.pt.

Deixe o seu Comentário

Comentário