Para onde vai o espírito do Ocidente?


Por: António Cândido Miguéis

Decorreu mais de um século desde que foi publicado o livro de Oswald Spengler intitulado “ A decadência do Ocidente”, precisamente no final da primeira guerra mundial . Muitos acontecimentos de âmbito político, económico, social e cultural aconteceram desde essa primeira guerra mundial. Despoletou ainda uma segunda guerra mundial. Apesar de tudo a europa devastada reergueu-se com a ajuda americana do Plano Marshall; criou-se a Comunidade Europeia, passou o Maio de 68 e mais tarde caiu o Muro de Berlim que abriu perspectivas de liberdade e convivência pacífica para os países de leste que, antes da queda do muro, estavam sob o jugo do tacão de ferro  da URSS.  

Actualmente, a Comunidade Europeia, que, ao longo dos anos  foi integrando países do leste da europa, debate-se com sérios problemas que dizem respeito à solidez da sua coesão. A  Inglaterra já saltou fora e a França e a Alemanha terão de gizar políticas e congregar esforços para que o designado projecto europeu não claudique e se esboroe. A tarefa não será fácil e complicou-se ainda mais com o surgimento de um inimigo invisível virulento que está sapando e destruindo a economia dos países  provocando muitas mortes, não só no Velho Continente mas também por todo o mundo. A comunidade científica mundial não se tem poupado a esforços para conseguir uma vacina eficaz e de grande espectro para que, de certa maneira, a paz ,  a tranquilidade e o sossego voltem a esta desassossegada Europa. A não ser assim para onde vai o espírito do Ocidente?

Partilhar:

Outros artigos:

Menu