Novo serviço de acompanhamento social de Lamego com balanço positivo

0
397

A Rede Local de Intervenção Social (RLIS) de Lamego já garantiu o acompanhamento social a mais de 180 utentes, desde agosto de 2016, data da sua entrada em funcionamento. A Misericórdia de Lamego, entidade promotora do projeto, faz um balanço muito positivo do novo serviço que veio melhorar o atendimento e o acompanhamento social no concelho, assumindo competências anteriormente desempenhadas pelos serviços de Segurança Social instalados no bairro de Alvoraçães. “Temos desenvolvido um trabalho de aprendizagem, consolidação, articulação e parceria. A execução de planos de ação que visam o combate à pobreza e exclusão social são mais eficientes, quando implementados pelos agentes que estão próximos da comunidade e melhor conhecem o território”, defende o Provedor António Marques Luís.

O Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social de Lamego, que surgiu como uma unidade do RLIS, tem registado um número crescente de atendimentos a pessoas em situação de vulnerabilidade e exclusão social. Até este momento, já realizou mais de 1240 atendimentos, valorizando no dia a dia um trabalho de proximidade entre a equipa técnica e os utentes. Aqui, é feito o seu atendimento, identificação e avaliação para, posteriormente, serem encaminhados para a entidade ou serviço que poderá apresentar a melhor solução para a sua situação.

Para que seja o mais eficaz possível, o RLIS de Lamego trabalha em rede, com as instituições públicas do concelho, bem como com outras IPSS que nele atuam. Esta estreita colaboração também se estende ao Centro Distrital de Segurança Social de Viseu, no domínio das responsabilidades de coordenação e monitorização, através de um “excelente relacionamento interinstitucional”.
Recorde-se que para desenvolver a RLIS foi elogiado o mérito da candidatura apresentada pela Misericórdia de Lamego ao “Portugal 2020” e enaltecida a qualidade das instalações, situadas na Rua do Teatro, que albergam o novo modelo de resposta social ao qual podem recorrer todos os residentes do concelho.