Cerca de uma centena de pessoas concorreram ao Prémio Douro Criativo, um prémio que está a ser promovido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro  – UTAD – e cujo principal objetivo é a dinamização das indústrias criativas no Douro e Trás-os-Montes.

No total, e apenas no concurso 1 “Novas Ideias de Negócio” o investimento previsional nos 19 municípios que fazem parte da NUTS III Douro, é superior a 900 mil euros. A fase de submissão de candidaturas terminou no final de abril, agora o júri prepara-se para selecionar os finalistas dos 3 concursos que fazem parte do Prémio Douro Criativo: Concurso 1 – Novas Ideias de Negócio; Concurso 2 – Projetos Realizados e Projetos a Realizar; Concurso 3 – Entidades que Incorporam as Indústrias Criativas. Os finalistas dos concursos 1 e 2 irão apresentar publicamente as suas ideias numa gala final, a 27 de junho, no Teatro de Vila Real. Caberá ao júri, in loco, escolher os vencedores.

Para a UTAD, o número de candidaturas a concurso correspondeu às expectativas. João Calejo, gestor do projeto Douro Creative Hub – no qual o Prémio está integrado – faz as contas a esta primeira edição: “Recebemos cerca de 100 candidaturas. O que é muito bom para uma 1ª edição e para algo completamente novo em termos de concurso direcionado para todas as áreas das industrias criativas. Em termos percentuais, a maioria dos concorrentes foi para o concurso 1, cerca de 50%, o concurso 2 teve cerca de 40%, e o concurso 3 teve 10%. Aqui talvez a mensagem não tenha passado tão bem, mas também pelo facto de ser um concurso inovador para as empresas ditas não criativas demonstrarem como as incorporam na sua cadeia de valor – este poderá ser um desafio a merecer uma maior aposta em edições futuras”, refere.

As candidaturas chegaram um pouco de todo o país e grande parte estão “muito ligadas à valorização criativa dos recursos endógenos da região, do turismo em diferentes valências, e há também várias iniciativas relacionadas com a música, gastronomia e software educacional. São as principais propostas a concurso”, refere João Calejo.

Os finalistas irão ter a oportunidade de participar num “creative camp” para trabalharem melhor as ideias e/ou projetos e prepararem uma pequena apresentação para o dia da gala de atribuição de prémios a ocorrer no dia 27 de junho. Os vencedores terão depois a possibilidade de continuarem este tipo de capacitação e de formação.

O Prémio Douro Criativo faz parte do projeto Douro Creative Hub que é financiado pelo Norte2020 (cofinanciado pelo FEDER e pelo Estado Português), através do Sistema de Incentivo às Ações Coletivas (na medida “Dinamização dos Espírito Empresarial”) na Tipologia de intervenção 51-Empreendedorismo Qualificado e Criativo, do Programa do NORTE2020.