O jornalista e cónego Rui Osório morreu, esta quinta-feira, aos 77 anos. Foi discípulo de D. António Ferreira Gomes (o bispo do Porto que Salazar exilou), fundou o jornal “Voz Portucalense”, lutou contra a ditadura e teve elementos da polícia política (PIDE) a vigiar-lhe as missas e a gravar-lhe as homilias.

Depois do 25 de Abril, com a bênção do seu bispo, foi, durante 28 anos, colaborador no Jornal de Notícias, onde chegou a chefe de redação. Reformou-se aos 65 anos, que completou em 2005, e estreou-se como pároco na Foz Velha.

Ordenado em 1964, Rui Osório começou a ganhar o gosto pela área da comunicação social nos últimos anos de estudante. Por sugestão do bispado, Rui Osório foi estudar jornalismo tendo-se para isso formado em Espanha.

Com o consentimento de D. António Ferreira Gomes, o padre e jornalista resolve profissionalizar-se e consegue trabalho no Jornal de Notícias em 1977. Aqui exerceu vários cargos tendo chegado a chefe de redação.

Deixe o seu Comentário

Comentário