Moradores do Pioledo preocupados com a falta de segurança

Os moradores da zona do Pioledo, Vila Real, vão realizar um abaixo assinado para solucionar as situações de insegurança existentes neste largo. De facto, nos últimos meses, têm havido várias situações de extrema violência e ruído intenso, nomeadamente no período noturno, após o encerramento dos estabelecimentos comerciais. O documento, que será entregue à Câmara Municipal de Vila Real e à PSP, na esperança de uma participação mais presente e ativa na segurança pública, contará com cerca de 300 assinaturas. “Este abaixo assinado não é uma demonstração de descontentamento, mas sim, um alerta. Acreditamos que, se nada for feito neste momento, no futuro, pode ocorrer uma situação sem retorno, muito mais violenta, fora do controlo”, comunicou Domingos Madeira Pinto, morador na zona em questão, esclarecendo que “há algum tempo atrás seria impensável um caso de assalto de um café, à noite”. “Não me lembro de algo assim ter acontecido até hoje, e não há dúvidas de que, por mais desculpas que se possam dar à situação, uma policia de proximidade deve estar mais presente. É um direito que os cidadãos têm”, garantiu.

Como se sabe, este local é especialmente frequentado pelos jovens e, devido à existência de diversos locais de atividade social, como bares e esplanadas, há uma movimentação inquietante que acaba por provocar nos residentes receio, uma vez que já presenciaram, até ao dia de hoje, inúmeras situações desconfortáveis.

Ricardo Pereira da Silva, também morador na zona do Pioledo, afirma, ainda, que “este problema relacionado com atos violentos e barulho constante nesta zona, não se sente apenas nos últimos tempos, é algo que tem vindo a piorar já há muito tempo”, explicou, acrescentando que muito se deve “à falta de policiamento de proximidade, principalmente após o fecho dos estabelecimentos comerciais”. “Por aquilo que eu noto, durante o período de abertura não existem problemas maiores, existe talvez algum barulho, mas essencialmente o desconforto, a violência, o vandalismo que existe no pós-encerramento destes estabelecimentos, são o maior problema. Não há qualquer controlo, embora acredite, que a polícia tenha conhecimento do que se passa.”, concluiu o residente da zona.

Em conversa com o NVR, Ricardo Silva Pereira e Domingos Madeira Pinto, revelaram que têm como objetivo entregar o documento até ao final do mês de setembro e salientam que “neste abaixo assinado apenas vamos pedir que a polícia exerça o seu trabalho, para que as pessoas se sintam mais seguras, e uma das questões mais estratégicas é a presença de policia de proximidade. Queremos que os jovens se divirtam, ocupem a sua parte, mas que as pessoas se sintam protegidas nas suas casas”, declararam ambos os vizinhos.

RB

Menu