O Município de Mondim de Basto comemorou no passado dia 13 de janeiro, os 120 anos da Restauração do Concelho, com uma sessão evocativa da Assembleia Municipal.

Depois do descerramento da placa que assinala esta data, o historiador e arqueólogo António Pereira Dinis, que é também coordenador do projeto “Restauração do Concelho de Mondim de Basto – 1898-2018”, explicou o desenrolar do processo de restituição do concelho do Mondim de Basto, tendo dado nota de que o concelho de Mondim de Basto esteve extinto entre 1896 e 1898 e integrado no concelho vizinho de Celorico de Basto e no distrito de Braga. Por decreto de 13 de janeiro de 1898, do ministro e secretário de estado dos negócios do reino, José Luciano de Castro, o concelho de Mondim de Basto foi restaurado com todas as suas freguesias, com exceção de Lamas de Olo, tendo sido reintegrado no distrito de Vila Real.

Seguiram-se as intervenções de todos os representantes dos partidos com assento nesta Assembleia Municipal.

O Presidente da Câmara, Humberto Cerqueira, no seu discurso de encerramento da sessão solene, falou deste marco da história do nosso concelho que merece ser recordado e exaltado porque ao concelho foram restituídos a autonomia e direitos municipais outorgados há vários séculos.

Para o presidente da autarquia, “um concelho é muito mais que uma divisão administrativa. É sobretudo uma comunidade que se revê na sua história. Assinalar a história é a melhor forma de garantir o futuro.”

O Grupo Coral e Artístico de Nossa Senhora da Graça – Vilarinho foi responsável pelos momentos musicais que animaram, com dignidade, esta cerimónia.

Deixe o seu Comentário

Comentário