Março: Filandorra em roteiro pela região

0
505

Para comemorar o Dia Mundial do Teatro, que se assinala no próximo dia 27 de Março, a Filandorra – Teatro do Nordeste está a preparar um conjunto de iniciativas como espetáculos de teatro e animações para todos os públicos, com o objetivo de promover a arte do teatro junto do público da região. As iniciativas vão centrar-se no eixo-Douro Lamego e Vila Real, estendendo-se às vilas de Boticas e Alfândega da Fé, territórios das Serras de Barroso e Bornes, com momentos distintos que pretendem ser de celebração e partilha do teatro.

Assim entre os dias 19 e 21 de Março a Filandorra “regressa” ao Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, com um Ciclo de Teatro para a Infância com a apresentação do espetáculo História de Uma Boneca Abandonada de Alfonso Sastre para as crianças que frequentam o pré-escolar e 1º ciclo do ensino Básico daquele concelho, numa parceria com a edilidade local. Trata-se de um texto que Alfonso Sastre escreveu para o público infantil, nos anos 60 inspirado na obra de Bertold Brecht O Círculo de Giz Caucasiano e que a Filandorra revisitou recentemente pelo seu valor didático que conduz o espectador à reflexão sobre a importância de cuidar e dar valor às coisas desafiando-o para a importância do amor e da justiça, com base no princípio de que “as coisas pertencem a quem delas trata bem. Que aquele que já tem tudo e de nada tem cuidado as queira guardar para si é coisa que não está bem”. Neste espetáculo o público vai conhecer a história de Lolita, uma menina muito rica e mimada que um dia, farta da boneca que o pai lhe trouxera de Roma, a deita fora, abandonando-a… Chiquita, aprendiza de cozinheira, encontra a boneca e trata dela com muito amor e carinho. De quem é a boneca? A resposta pode ser descoberta nos dias 19 a 21 de Março, pelas 10h30 e 14h30 no Teatro Ribeiro Conceição, e no dia 22 no Auditório Municipal de Boticas, com sessões agendadas para as 11h00 e 14h30, abertas a todos os alunos do pré-escolar e 1º ciclo daqueles concelhos.

E porque celebrar o teatro é também relembrar as obras mais importantes da dramaturgia, a Filandorra prepara uma aula viva sobre o teatro vicentino para os alunos do 9º ano, com a apresentação no Auditório Municipal de Boticas no dia 23 de Março pelas 14h30 da alegoria Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente, o pai do teatro português.

No dia 24 a Filandorra “entra” novamente em palco no Teatro Ribeiro Conceição com espetáculo À Manhã de José Luís Peixoto, um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A peça retracta o quotidiano do mundo rural, abordando problemas como o despovoamento e envelhecimento das populações das aldeias do interior do país. A ação desenrola-se numa aldeia onde cinco personagens, três mulheres e dois homens, dão corpo aos seus próprios desejos e receios, numa “viagem” pelo tempo das estações: as Primaveras e os segredos, os enganos e o Verão, os beijos nunca dados e o Outono onde se retarda o último frio.

A celebração do teatro estende-se ao concelho de Alfândega da Fé, no dia 25 de Março, com a apresentação do exercício público final da escola municipal de teatro TAFÉ, A Boneca Abandonada, no encerramento do Festival de Teatro promovido pela autarquia local. A escola TAFÉ é formada por cerca de 25 elementos, dos oito aos oitenta anos é uma aposta da autarquia local para a formação na área do teatro e tem a coordenação pedagógica e artística da Filandorra.

No Dia Mundial do Teatro, a 27 de Março, a Filandorra vai estar no Teatro Ribeiro Conceição em Lamego com a iniciativa DIA ABERTO… As portas do Teatro vão estar abertas durante todo o dia e para todos os públicos, com um programa especial que inclui visitas guiadas, performances, exposição de figurinos e adereços, com entrada gratuita.

As comemorações prolongam-se ao dia 28 de Março, Dia Nacional dos Centros Históricos, com a apresentação da VIA DOLOROSA… os passos de Cristo numa dramatização de episódios dos últimos momentos da vida de cristo “recuperando” a tradição dos Autos da Paixão, manifestações de teatro popular religioso muito características na região. A iniciativa surge a convite do Pelouro de Turismo da Câmara Municipal de Vila Real e integra o programa das celebrações da Semana Santa. A Via Dolorosa percorrerá as ruas do centro histórico da cidade, com a implantação de cenas em espaços do património cultural e religioso, como a Sé Catedral, Museu da Vila Velha, Largo da Capela Nova, entre outros locais emblemáticos do centro histórico da cidade, terminando junto às cruzes da Igreja do Calvário. Este projeto envolve cerca de 100 pessoas entre atores profissionais, elementos dos Coros Marco Aurélio e figurantes populares.