Funcionárias gritam por ajuda à janela em lar com casos de COVID-19


Várias funcionárias do Lar de Nossa Senhora das Dores gritaram, hoje, em desespero, por ajuda, enquanto o autarca Rui Santos falava aos jornalistas, na sequência dos 20 casos confirmados de COVID-19 naquela instituição.

“Queremos ajuda. Queremos fazer os testes”, gritaram as profissionais, à janela, equipadas com luvas e uma máscara na cara. “Se for preciso pagamos os testes. Eu quero saber se estou bem, mas também quero saber dos idosos”, gritou outra funcionária, que referiu estar no lar “há sete dias”.

Em resposta ao apelo, Rui Santos, que falava com a comunicação social, trocou algumas palavras com as profissionais e garantiu estar a fazer “tudo o que é possível” para resolver o problema.

“Não podem aguentar muitas mais horas as 13 funcionárias para cerca de 74 utentes que estão, neste momento, dentro deste lar”, alertou o autarca, que exigiu ao Estado uma “resposta imediata” para a instituição.

O autarca acrescentou que os profissionais ao serviço estão exaustos e precisam de ser substituídos, contudo “não há ninguém com equipamento em condições para entrar neste espaço”.

20 pessoas do Lar de Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, testaram positivo para o novo Coronavírus. Depois de retirados, a Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Marão e Douro Norte determinou o isolamento profilático dos restantes 59 utentes e 50 profissionais do Lar.

Partilhar:

Menu