Filandorra em estreia nacional com a peça “Não se brinca com o amor”, de Musset

A Filandorra – Teatro do Nordeste apresentou em conferência de imprensa a nova produção a ESTREAR em Residência Artística no Teatro de Vila Realna próxima sexta-feira, 18 de outubro, precedida de antestreia a 17, Não se Brinca com o Amor de Alfred de Musset.

Nesta conferência, realizada em pleno palco do pequeno auditório do TVR em contexto de ensaio aberto com todo o elenco da nova produção, estiveram presentes o diretor Artístico da Filandorra, David Carvalho, Nathalie Amarante, docente da UTAD doutorada em literatura e colaboradora da Filandorra na área da dramaturgia, o encenador convidado Filipe Crawford e a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real e também Vereadora da Cultura, cidade sede da Filandorra, Eugénia Almeida.

É a primeira vez que uma Companhia da região “visita” Musset, poeta e dramaturgo francês do século XIX e considerado o mais clássico dos românticos e o mais romântico dos clássicos, cujo estilo influenciou a literatura europeia, segundo Nathalie Amarante. Não se Brinca com o Amor conta a história de dois jovens apaixonados desde a infância: Camille, recém-saída do convento, e o seu primo, o jovem doutor Perdican. Num misto de orgulho e inocência, ambos tratam o amor de forma despeitosa, e a morte de uma jovem e inocente camponesa acaba por traçar o destino dos jovens apaixonados…

Depois de em 1997 ter encenado “O Teatro Cómico” de Goldoni, Filipe Crawford “regressa” à Companhia para levar à cena este drama que na sua perspectiva «não deixa de ser uma comédia, e que a introdução de um coro de camponeses enfatiza ainda mais uma mistura de estilos que revela uma modernidade surpreendente para a época de Musset». Segundo o encenador, «parte importante da encenação consiste no trabalho do Coro de aldeões e criados, com música tocada ao vivo, aproximando a sua representação à Tragédia Grega. O tom geral da peça oscilará entre a Comédia e o Drama, dando ênfase ao lirismo do texto de Musset. Assim, pretende-se que o espectáculo apresente momentos de Festa Popular, intercalados com referências à Tragédia Clássica, à Comédia Romântica e ao Melodrama novecentista».

As interpretações estão a cargo de Anita Pizarro, Débora Ribeiro, Bibiana Mota, Helena Vital, Sofia Duarte, Silvano Magalhães, Bruno Pizarro, Rui Moura, Luís Filipe e Pedro Carlos.

Não se brinca com o Amor é a 76º produção da Companhia e “fecha” o ciclo das estreias programadas no âmbito do Programa de Apoio Sustentado Biénio 2018-2019 – Teatro da DGartes/Ministério da Cultura. Recorde-se que nestes dois anos a Companhia estreou cinco produções com o apoio da DGartes em contextos diferenciados em termos regionais e em jeito de proximidade com os públicos dos seus territórios, com destaque para as estreias de “Amor de Dom Perlimplim” no Teatro Ribeiro Conceição em Lamego, “Mestre Grilo Cantava…” de Aquilino Ribeiro em Sernancelhe, “Amadeo e o Mundo às Cores” e “Frei Luís de Sousa” no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso em Amarante, e agora o “regresso” à cidade sede da Companhia para estrear em Residência Artística no Teatro de Vila Real.

Partilhar:

Menu