Festival de Ano Novo: a música erudita clássica e contemporânea em nove espetáculos

Com a mudança de ano é de novo altura para abordar a música erudita, nas suas vertentes clássica e contemporânea. A 14.ª edição do FAN – Festival de Ano Novo é constituída por nove espectáculos, abrindo com a estreia nacional de uma produção própria do Teatro de Vila Real (Poema Geológico), que é também a estreia do primeiro ensemble transmontano dedicado a repertório contemporâneo, o Oniros Ensemble.

Neste programa do FAN, os 250 anos do nascimento de Ludwig van Beethoven são assinalados em três momentos. O primeiro surge numa das três peças que compõem o programa da Companhia Nacional de Bailado dedicada ao coreógrafo Hans van Manen, nome incontornável da história da dança. A “Sonata para Piano n.º 29, opus 106”, de Beethoven, é a base musical da coreografia “Adagio Hammerklavier”, um dos clássicos do séc. XX. Pelo seu lado, a Musicamera dedica um programa a este compositor, precisamente intitulado “Beethoven e a sua Época”, onde será interpretado o “Septeto em mi b M, op. 20”. Por fim, a pianista luso-suíça Leonor Dill passará também pela obra de Beethoven num recital em que se prevêem ainda peças de Mendelssohn, Schumann, Debussy e Ravel.

A Banda Sinfónica Transmontana, que teve uma estreia brilhante na edição do ano passado do FAN, regressa este ano ao festival com três obras de compositores contemporâneos: Toshio Mashima, John Mackey e Joseph Horovitz.

A vertente contemporânea do festival inclui concertos de três pianistas de diferentes nacionalidades: a francesa Christine Ott (que tem colaborado muito de perto com artistas como Yann Tiersen e Tindersticks), a espanhola Marta Cascales Alimbau (com influências de Bach, Debussy, Ólafur Arnalds e Max Richter) e o inglês Simeon Walker (um dos nomes mais destacados no crescente panorama clássico moderno britânico). Este último concerto decorrerá no Club de Vila Real, no âmbito de uma parceria do Teatro de Vila Real com aquele espaço no centro histórico vila-realense.

Para o público mais novo o FAN agendou a ópera infantil A Rolha da Garrafa do Rei D’Aonde?,  uma criação que inclui música de Prokofiev, Shostakovitch, Tchaikovsky e outros. Este espectáculo é antecedido por uma mini-residência artística para crianças, orientada pela companhia Ópera Isto, sob o mote Quer Quer Entrar Numa Ópera?

Partilhar:

Menu