O Museu da Vila Velha, tutelado pelo Município de Vila Real, celebra no próximo dia 20 de maio o seu 10º aniversário. Para assinalar este aniversário, será inaugurada pelas 16 horas a exposição “João Dixo: Exposição Cancelada”, integrada igualmente no programa de comemoração do Dia Internacional dos Museus. Com curadoria de Paula Pinto, a exposição reúne 80 obras deste fantástico Artista Vila-realense, provenientes de vários museus e de coleções de particulares – familiares, amigos e colecionadores privados.

A Artista Plástica Joana Vasconcelos, sobrinha de um dos grandes amigos de João Dixo (Álvaro Vasconcelos, que cedeu uma obra para a exposição) já confirmou a sua presença nesta inauguração.

Vários dos amigos de João Dixo, que marcarão igualmente presença na inauguração são personalidades incontornáveis do panorama artístico nacional das últimas décadas e da arte contemporânea portuguesa (António Olaio está atualmente exposto na Árvore, Albuquerque Mendes esteve já em Serralves, entre tantos outros). Será, pois, com toda a certeza um evento muito importante e um marco nas exposições de arte contemporânea na nossa Cidade.

 

João Dixo é, mais uma vez, homenageado na sua terra natal, agora com uma exposição que, segundo a sua curadora, “não é uma exposição retrospetiva, pelo contrário, esta é a exposição que foi cancelada [em 1973]. Esta é uma exposição que celebra o fascínio pela atualização cultural dos objetos de arte expressa na obra de João Dixo”.

Do ato inaugural farão parte duas performances protagonizadas por António Olaio e Armando Azevedo, amigos de João Dixo que se associam assim, de forma sentida, a esta homenagem. Inaugurar-se-á ainda a exposição de fotografia de Ursula Zangger “João Dixo nos Encontros Internacionais de Arte em Portugal”.

A entrada é livre, apenas limitada à lotação dos espaços expositivos.

 

João Dixo – Nota biográfica

Formado com 20 valores no Curso de Pintura da Escola Superior de Belas Artes do Porto, João Dixo (1941-2012) foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian em França, durante o seu doutoramento pela Universidade Paris-Sorbonne, membro fundador do Grupo Puzzle e da APNDC (Bienal de Vila nova de Cerveira) e membro de La Jeune Peinture (Paris). Para além de participar em dezenas de exposições coletivas um pouco por todo o mundo e de fazer inúmeras exposições individuais, João Dixo teve ainda uma longa carreira docente. Está representado, entre tantas outras, nas coleções da Câmara Municipal de Vila Real, do Museu Nacional Soares dos Reis, do Museu da Fundação Gulbenkian, do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, da Fundação Cupertino de Miranda e do Museu Municipal Amadeo de Sousa-Cardoso.