O Espaço Miguel Torga, em Sabrosa, terá patente, a partir de 1 de dezembro (18h), uma exposição itinerante da Fundação Gulbenkian, designada “Corpo e Paisagem”, com autores como Almada Negreiros, Carlos Botelho, Costa Pinheiro, Graça Morais, Jorge Barradas, Júlio Resende, Maria Beatriz, Mário Eloy, Menez, Paula Rego e Rui Sanches.

A presente exposição, onde se encena uma nova narrativa, distinta daquela que as obras tinham no museu de origem, resulta de uma seleção extensiva de obras e objetos das coleções do Museu Gulbenkian.

Sem excluir outros, privilegiam-se aqui temas como o corpo e a paisagem, géneros artísticos que ao longo da história da arte se têm manifestado através das mais variadas formas e processos, articulando-se, num e noutro caso, a partir de criações de épocas distintas e de domínios tão diversos como os da pintura e da escultura, do desenho e da fotografia.

Neste conjunto fragmentário, composto maioritariamente por obras de artistas contemporâneos portugueses, associam-se ainda um conjunto de objetos oriundos das mais diversas proveniências, como a Síria, a Turquia ou o Japão, que Calouste Sarkis Gulbenkian reuniu, desde finais do século XIX, numa coleção de arte muito eclética e única no mundo.

Trata-se, portanto, de um encontro interdisciplinar entre criações contemporâneas e objetos de expressões, idades e vocações muito distintas, a partir das quais podemos encontrar múltiplas ligações, sejam elas ativadas por afinidades, confrontos, correspondências ou até apropriações.

Exposto em dois momentos, simultaneamente no Espaço Miguel Torga, em São Martinho de Anta, Sabrosa, no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança, e posteriormente no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco, o projeto integra um conjunto mais vasto de exposições que o Museu Gulbenkian apresenta, entre 2018 e 2020, em diversos museus de norte a sul do país, retomando, na génese, o conceito do extinto projeto das emblemáticas bibliotecas itinerantes.

Deixe o seu Comentário

Comentário