Equipa de Investigação da UTAD ganha prémio da revista “Veterinária Atual”

A equipa de investigação “MicroART – Microbiology and Antibiotic Resistance Team”, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, coordenada pela docente Patrícia Poeta, foi distinguida com o Prémio Investigação da revista “Veterinária Atual” com um projeto que visa contribuir para o combate das bactérias resistentes aos antibóticos, o que é  já uma preocupação de saúde pública à escala mundial. Foi com o projeto ‘Omics’ analysis of methicillin-resistant Staphylococcus aureus (MRSA) biofilms: a One Health approach in Veterinary Science que os investigadores conquistaram o júri da 6ª edição dos Prémios Veterinária Atual. 

Para além disso, o grupo MicroART foi também merecedor de uma menção honrosa nos mesmos prémios (STAPHCombatToALL – Resistência antimicrobiana em MRSA produtores de biofilmes através da proteómica – em busca de biomarcadores teranósticos inovadores em medicina veterinária e humana). 

Para a coordenadora do grupo, Patrícia Poeta, ambos os prémios traduzem “o reconhecimento da comunidade científica do trabalho de investigação que foi desenvolvido”. A docente diz ser “um grande orgulho para todos os membros”, deixando bem claro que a “investigação é uma área difícil, que requer carinho, dedicação, esforço e muito suor”. Além disso, Patrícia Poeta acrescentou que “este prémio não é meu, é da minha equipa, do meu grupo de investigação que eu muito prezo, que é o MicroArt, e sem estes colegas as coisas não seriam possíveis”. 

O grupo MicroArt desenvolve trabalhos de investigação focados no uso de ferramentas ómicas ao nível da genética molecular e biotecnologia em várias espécies microbianas. Tem mais de 500 trabalhos publicados em revistas científicas, livros, congressos nacionais  e internacionais com impacto em saúde pública. Interage com grupos de trabalho nacionais e internacionais em diversas áreas do conhecimento sendo uma equipa de investigaçáo multidisciplinar. 

A resistência das bactérias aos antibióticos é uma das consequências de um uso intensivo ou inapropriado deste tipo de fármacos, particularmente no tratamento de infecções bacterianas em humanos, animais e diversos ecossitemas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) refere que, em 2050, irão existir mais mortes devidas a infecções causadas por bacterias mutiresitentes do que mortes devidas ao cancro ou mesmo sida

Patrícia Poeta é Diplomada Europeia pelo Colégio Europeu de Microbiologia Veterinária e membro do Comité Executivo do ESGVM pertencente ao ESCMID. Em 2019 integrou o Livro “Mulheres na Ciência”. Doutorada em Medicina Veterinária pela UTAD com investigação em Microbiologia Médica. Responsável pelo Laboratório de Microbiologia Médica da UTAD. Membro do LAQV-REQUIMTE, Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade Nova de Lisboa. 

Partilhar:

Menu