Novos desafios do conhecimento

A evolução do quadro epidémico da COVID-19 (coronavírus) é o tema que marca a agenda política mundial. Temos vindo a viver circunstâncias extraordinárias que mudam a todo o momento.

A história comprova que a educação e o conhecimento são um bem essencial para o progresso da sociedade. Nos últimos séculos, assistimos a sucessivas revoluções, em ciclos com um espaçamento temporal cada vez menor. Indubitavelmente, vivemos na era das tecnologias digitais, físicas e biológicas, a quarta revolução industrial.

Mas, este desafio soma-se a outras questões societais decisivas à escala planetária, caso da sustentabilidade ambiental e da economia circular, as alterações climáticas e as pandemias, como a que estamos a viver.

O cenário atual exige perspetivar a atuação da ciência para o futuro, que passa por interpretar os principais desafios societais com os quais se confrontam os povos, exercício de considerável complexidade e exigência, numa época marcada pela imprevisibilidade e pela globalização da informação e do conhecimento.

Num cenário de globalização, de crescente mudança e incerteza, a ação da ciência deve obrigatoriamente potenciar a centralidade do conhecimento e da formação superior para dar resposta a problemas como o que estamos a viver.

Na atualidade, não é possível ter respostas seguras para todas as perguntas que, naturalmente, todos gostaríamos de ver respondidas. Neste momento de crise, importa manter uma atitude serena, respeitando com tranquilidade as orientações superiores, sabendo que estas podem ser alteradas a qualquer momento.

Por: Fontainhas Fernandes, reitor da UTAD

Partilhar:

Outros artigos:

Menu