Covid-19: aumento de casos obriga ao reforço das estruturas de proteção civil

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Vila Real reuniu na passada sexta-feira (dia 8 de janeiro), pela primeira vez este ano, por videoconferência, tendo apenas marcado presença física nas instalações do CDOS o Presidente da CDPC e Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, o 1º CODIS, Álvaro Ribeiro, e o 2º CODIS, Manuel Machado.

O principal ponto de ordem foi a avaliação da situação epidémica no distrito, que é bastante preocupante, já que Vila Real é o distrito da região norte com maior taxa de incidência de casos positivos, com a situação a ser muito semelhante em praticamente todos os concelhos, sendo, por isso, necessário mobilizar os necessários meios e recursos para fazer face a este momento difícil. De resto, como resposta às necessidades distritais, foi aprovado o regulamento de funcionamento da Estrutura de Apoio de Retaguarda (EAR) do Distrito, instalada na Pousada da Juventude de Alijó, cujo pessoal médico será disponibilizado pelo ACES Douro Norte e o pessoal auxiliar pela Segurança Social, cabendo à Comissão Distrital de Proteção Civil assegurar todas as outras despesas de funcionamento das instalações.

Uma outra preocupação diz respeito à taxa de ocupação do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, prestes a entrar em rotura, já que se aproxima a passos largos dos 100% de capacidade, o que deixa antever grandes dificuldades, até por causa dos constrangimentos adicionais do tempo frio, que obriga a cuidados redobrados, como referiu o 1º CODIS, Álvaro Ribeiro. Quanto à vacinação, o representante do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro na Comissão referiu que a mesma está a decorrer dentro dos parâmetros esperados, sublinhando a grande aceitação por parte dos profissionais de saúde. De resto, segundo informação prestada pela Segurança Social, a vacinação junto dos utentes das Estruturas Residenciais para Idosos também está a decorrer em ritmo satisfatório, tendo iniciado pelos concelhos de Valpaços, Montalegre e Régua e decorrendo esta semana nos municípios de Boticas, Chaves e Ribeira de Pena.

Na ocasião, a Federação de Bombeiros de Vila Real deixou o apelo para que os Bombeiros possam ser colocados nesta primeira fase da vacinação, uma vez que, em virtude dos cada vez mais serviços na área da saúde que as corporações têm realizado, têm contacto regular com casos positivos, podendo ser veículos transmissores da doença, colocando em risco o auxílio e a assistência às populações.

Mais uma vez, a Comissão reiterou a sua grande preocupação no atraso do reporte dos cidadãos em situação de isolamento às forças policiais, o que torna muito difícil o controlo destas situações, estando em causa a segurança de todos.

Menu