Vila Real em números: população desceu, mas aumentam empresas e diminuem desempregados


A Pordata, uma base de dados estatísticos certificados sobre Portugal, divulgou no passado dia 13 de junho, por ocasião do feriado municipal, dados relativos ao concelho de Vila Real, entre os anos de 2010 a 2018.

Considerando um período de crise profunda, que teve o seu pico em 2013, ano em que Portugal esteve sujeito a austeridade, verifica-se uma ligeira perda de população residente no concelho, à semelhança do que aconteceu no resto do país. Assim, em Vila Real, a população baixou de 51.875 residentes para 49.910. Contudo, o número de habitações familiares no concelho subiu, passando de 28.829 para 30.448. Além disso, o número de pessoas estrangeiras a residir no concelho aumentou de 716 para 863.

Ao nível empresarial, em 2018 foram registadas mais empresas do que em 2010, dado que, em oito anos, passaram de 5.318 para 6.806. Acompanhando a mesma tendência de subida, registam-se 14.067 pessoas ao serviço dessas empresas, em 2018, face às 12.268 existentes em 2010.

Em relação ao emprego, houve uma descida de beneficiários de Rendimento Social de Inserção, de 2.455 parar 1.651 indivíduos, assim como de desempregados inscritos no centro de emprego, de 2.882, em 2010, para 2.613, em 2018.

No que toca aos alojamentos turísticos, há mais 13 do que em 2010, tendo o número passado de 4 para 17. De referir que, a partir de 2018, os dados incluem as novas unidades de Alojamento Local e os estabelecimentos do turismo no espaço rural.

Para além disso, a criminalidade baixou, dado que os crimes registados pelas polícias por mil habitantes passaram de 26 para 25,3.

Envelhecimento populacional segue tendência nacional

Segundo a mesma fonte, em 2010, ocorreram cerca de 499 nascimentos, já em 2018, esse número baixou para 341. No total, em oito anos, nasceram 341 bebés e morreram 520 pessoas. No que toca aos jovens com menos de 15 anos, foi ainda apontada uma descida de 2,4% e a percentagem de população em idade ativa também sofreu uma descida de 1%.

Contas feitas, a percentagem de idosos subiu de 17,2% para 20,5%. Uma subida ilustrada no aumento do índice de envelhecimento que subiu de 114 para 161 por cada 100 jovens. Uma tendência que acompanha o panorama nacional, uma vez que, no país, este índice passou de 122 para 157.

Com menos jovens, há menos alunos. Assim, o número de alunos no ensino não superior desceu em 2917 indivíduos, uma diminuição que também foi sentida no ensino superior, de forma mais ligeira, passando de 7368 estudantes para 6392.

Por fim, os estabelecimentos do ensino pré-escolar sofreram uma descida de 21 espaços, tal como os estabelecimentos do 1º ciclo do ensino básico que passaram de 47 para 20, enquanto que os estabelecimentos do 2.º ciclo do ensino básico mantiveram o mesmo número. Já os estabelecimentos de 3.º ciclo do ensino básico e de ensino superior aumentaram.

Passando para o saldo financeiro da Câmara Municipal, este é positivo, mais de 708 mil euros, sendo as receitas de 27 milhões e a despesas de 26,4 milhões de euros. De sublinhar, ainda, que cerca de 13% das despesas registadas destinaram-se à cultura e ao desporto, contudo, o valor foi inferior em 16% relativamente a 2010, e que 4% das despesas da autarquia foram destinadas ao ambiente, o que significa que houve um aumento de 3%. Mantendo a análise na área do ambiente, em Vila Real, os quilogramas de resíduos recolhidos seletivamente por habitante subiram de 18,8 para 38,1.

Partilhar:

Menu