Combater os efeitos da COVID 19 exige comprar português

Por: Fontainhas Fernandes*

Comprar produtos locais deve ser uma prática de todos os portugueses, a qual deve assumir-se como prioridade em tempos de crise. Vejamos o caso dos agricultores, que também atravessam um período difícil.

As empresas do setor agrário estão a ser fortemente afectadas pela atual pandemia, nomeadamente os pequenos agricultores que têm sérias dificuldades no escoamento dos seus produtos para o comércio local e a restauração em particular. Neste contexto, em boa hora, o Governo iniciou uma campanha de promoção dos produtos agroalimentares portugueses, visando animar a economia nacional, embora de forma tímida.

As recomendações da OMS no combate à COVID 19 também incluem a alimentação, a qual deve ter particular atenção no consumo de frutas e legumes frescos, determinantes para reforçar o nosso sistema imunitário. Por isso, devemos privilegiar o consumo de produtos frescos e diferenciados.

O nosso país tem condições únicas para a produção precoce de frutas e de legumes de qualidade, num setor pautado por um conhecido investimento em tecnologia e inovação. Contudo, mostra fragilidades ao nível da dimensão e organização das empresas que, por sua vez, têm implicações ao nível dos custos e do poder negocial perante a distribuição. Estas debilidades têm vindo a agravar-se no atual cenário de pandemia, devendo também ser consideradas nas medidas a implementar entre os vários setores de atividade económica.

Por isso, se nas nossas compras semanais escolhermos produtos portugueses, estaremos a ajudar a combater os efeitos da crise da COVID 19.

*Reitor da UTAD


Partilhar:

Outros artigos:

Menu