O Jantar Monástico regressa no próximo dia 16 de junho ao Vale do Varosa e volta a centrar-se nos cereais, depois de em 2017 o milho ter sido fonte de inspiração. “Com a mão se parte o pão” é o tema da oitava edição deste evento que é já uma referência na região e que volta a ter como cenário de excelência o Claustro do Capítulo do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. O desafio está lançado para um jantar que promete voltar a surpreender… As inscrições já estão abertas.

Mas, como já vem sendo habitual, o programa do Jantar Monástico começa bem antes, às 15h00, com um conjunto de visitas guiadas ao Convento de Santo António de Ferreirim, Mosteiro de São João de Tarouca, Ponte Fortificada de Ucanha e, como não poderia deixar de ser, ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

Em 2018, mais uma vez indo ao encontro mais uma vez das expectativas dos “monges”, o Jantar Monástico volta a oferecer a todos os participantes acesso gratuito, ao longo de todo o fim-de-semana, à rede de monumentos Vale do Varosa e ao Museu de Lamego.

Os cereais, especialmente o milho, fizeram parte da dieta portuguesa desde a Idade Média. A introdução do milho graúdo durante a expansão portuguesa, no século XVI, viria mesmo revolucionar a alimentação em Portugal, contribuindo para um dos maiores aumentos populacionais do reino até então. Este peso histórico mantém-se na região até à atualidade, encontrando-se ainda hoje ao longo do rio Varosa centenas dos tradicionais moinhos de rodízio.

Com menu de chancela da Escola de Hotelaria e Turismo do Douro, serviço da Quinta do Paço, vinhos da Quinta da Pacheca e espumantes Hehn, o Jantar Monástico é uma iniciativa da Direção Regional de Cultura do Norte, Museu de Lamego e projeto Vale do Varosa, com o apoio da Liga dos Amigos do Museu de Lamego, Câmara Municipal de Tarouca, Junta de Freguesia de Salzedas, Centro de Tropas de Operações Especiais e Agrupamento de Escolas Latino Coelho Lamego. Informações e inscrições em www.valedovarosa.gov.pt.

Deixe o seu Comentário

Comentário