CHTMAD integra rede para o diagnóstico da Covid-19


Ontem, o laboratório do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) passou a “pertencer à rede para o diagnóstico da Covid-19”, após os autarcas de Vila Real e Chaves terem exigido a sua inclusão na mesma.

“Foi um grande avanço. Foi uma atitude inteligente de quem tem responsabilidade no país que percebeu que aquilo que tinha decidido anteriormente não fazia qualquer sentido”, declarou à Agência Lusa o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, acrescentando que “esta foi uma medida de bom senso atendendo às circunstâncias do país” e é “uma boa notícia para todos os transmontanos e durienses”.

Recorde-se que, na terça-feira, o autarca vila-realense considerou “inconcebível” que a região transmontana tivesse sido excluída da rede de laboratórios para o diagnóstico da Covid-19 e exigiu uma revisão da medida que incluísse o centro hospitalar.

Uma opinião apoiada pelo autarca de Chaves, Nuno Vaz, que realçou ser inaceitável que seja preciso esperar “três ou quatro dias” para saber a resposta relativamente a possíveis infetados, uma vez que a região transmontana estava excluída da rede de laboratórios para o diagnóstico da covid-19, que se estava a realizar no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) e que tinha sido “centralizado para Lisboa”.

Aquando da sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal de Chaves tinha referido, ainda, que a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIM Alto Tâmega) manifestou a disponibilidade para oferecer três ventiladores ao Hospital de Chaves e recebeu a resposta do CHTMAD de que não eram necessários, e que a unidade de Chaves não tem essa necessidade.

O CHTMAD respondeu através do comunicado e afirmou que “o Conselho de Administração agradece a iniciativa”, mas “informa que o concurso para aquisição de ventiladores já está em fase adiantada e que, quando concluído, o CHTMAD ficará com os equipamentos necessários às suas necessidades”.

Fonte: Lusa

Partilhar:

Menu