Cem anos depois do fim da Grande Guerra, o Município de Murça organizou as comemorações evocativas ao Armistício, no passado dia 11 de novembro. Esta iniciativa, alusiva à assinatura do documento que simboliza o fim do conflito mundial que aconteceu entre 1914 e 1918, foi realizada em conjunto com o Exército Português e pretendeu assinalar esta data histórica, mas também homenagear Aníbal Augusto Milhais, conhecido como Soldado Milhões, figura natural deste concelho que se tornou um herói nacional.

O programa iniciou com o descerramento de uma lápide evocativa do Soldado Milhões no cemitério da sua terra natal, Valongo de Milhais. Ainda nesta localidade, foi celebrada uma Missa Solene, presidida por D. Amândio Tomás, Bispo da Diocese de Vila Real.

Já em Murça, na Praceta Herói Milhões, as cerimónias com honras militares foram presididas pelo Tenente-general Fonseca e Sousa e pelo presidente da Câmara Municipal de Murça, Mário Artur Lopes, que, juntos, procederam à deposição de coroas de flores junto ao busto do Herói Milhões, como forma de homenagear todos os soldados mortos na Guerra Mundial.

Na sua comunicação, Mário Artur Lopes, referiu que ” Acima de tudo é um orgulho como Murcense, estar aqui hoje a honrar este momento”. Partilhou ainda que a Câmara Municipal ” reconhece que a imagem e o nome do Herói Milhões é de capital importância para o Concelho de Murça, e deve perdurar, quer seja através de homenagens como a que se está a realizar, quer seja através da herança cultural e da histórica que se deve garantir. Mas para se conseguir de alguma forma eternizar o símbolo, o homem Aníbal Augusto Milhais, O Herói Milhões, a Câmara Municipal de Murça submeteu recentemente uma candidatura denominada “SOLDADO MILHÕES ǀ O HERÓI DA PRIMEIRA GRANDE GUERRA”, no contexto do turismo militar, turismo da natureza e do turismo de cariz cultural, a uma medida de apoio do Instituto Púbico Turismo de Portugal”.

No Centro de Cultura de Murça decorreu ainda uma palestra alusiva à Grande Guerra e ao Herói Milhões, proferida pelo Tenente-Coronel de Artilharia Marquês de Sousa.

Neste espaço esteve ainda patente uma exposição sobre a participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial.

Deixe o seu Comentário

Comentário