Campo do Calvário: 286 mil euros “para reparar aquilo que outros estragaram”

Foi consignada, no passado dia 17 de janeiro, sexta-feira, a obra de reparação do Campo do Calvário, que custará à Câmara Municipal cerca de 286 mil euros. 

A intervenção teve início na passada segunda-feira, está a cargo da empresa Costa e Carreira Lda. e terá uma duração de 90 dias.

De recordar que os estragos provocados na bancada e no relvado do campo foram provocados pela queda duma grua, cuja montagem foi ordenada pela NESINOCAS, no âmbito duma obra particular. Num primeiro momento, segundo o autarca Rui Santos, o município acreditou que a firma assumiria as suas responsabilidades, uma vez que foi informado de que a mesma teria participado de imediato i sinistro à sua companhia de seguros, Crédito Agrícola seguros. No entanto, após alguns meses, a NESINOCAS e a companhia de seguros adotaram um comportamento de desresponsabilização “inexplicável” que levou a autarquia a colocar o processo em tribunal. “Decorre no Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela, uma ação contra os responsáveis (…) que, infelizmente, não prevemos que venha a ser decidida com brevidade. Por esse motivo, o município avançou para a reparação do Campo do Calvário, cumprindo escrupulosamente o estabelecido na legislação da contratação pública, ela própria burocrática e demorosa”, declarou Rui Santos, presidente da Câmara Municipal de Vila Real, acrescentado que o caso será exposto aos grupos parlamentares da Assembleia da República e ao membro do Governo com tutela nesta área. “Enquanto eu for presidente da Câmara, estas situações não vingarão.  Não estamos ao serviço de interesses privados obscuros”, afirmou o autarca vila-realense. 

CR

Notícia completa na Edição nº 699 já nas bancas!

Menu