Bloco de Esquerda recomenda abolição das portagens na A24

Na Assembleia da República, decorrida a 18 de novembro, o Bloco de Esquerda (BE) apresentou um projeto de resolução no qual recomenda ao Governo a promoção da coesão territorial nos distritos de Viseu e Vila Real, eliminando as portagens na A24.

Nesse documento, o BE classifica a introdução de portagens na A24 “pelo governo do PSD/CDS, com o apoio do PS” como uma medida “errada e muito injusta que só tem prejudicado as regiões do interior, como os Distritos de Viseu e Vila Real”. “A aplicação do princípio do “utilizador-pagador” em quase todo o país foi feita de forma cega, por critérios economicistas, incluindo nas concessões SCUT e outras que nunca o foram. Enquadram-se nesta situação os troços da A24 entre Viseu e Chaves e com ligações à fronteira com a Espanha”, declarou o partido, em comunicado, acrescentando que o governo PSD/CDS “desculpou-se com a troika, o governo PS com a situação financeira do país…” e que, agora, “as desculpas não têm qualquer fundamento, considerando a evolução positiva da economia do país”. Uma posição que, segundo o BE, se justifica com “a falta de coragem” do PS, PSD e CDS para enfrentar “os poderosos e obscuros interesses financeiros e económicos outorgados às concessionárias privadas”.

Para além disso, o Bloco de Esquerda realçou que o primeiro-ministro António Costa, antes das eleições legislativas de 2015, prometeu eliminar as portagens nas ex-SCUT do interior do país e no Algarve. Promessa que, segundo o Bloco, não cumpriu. “As reduções das taxas para 2019 que o governo anunciou, além de insignificantes são discriminatórias, deixando a maioria dos utentes de fora”, defende o partido de esquerda.

Quanto ao seu posicionamento, o BE defende que se sempre se opôs  à aplicação do princípio do utilizador-pagador nas autoestradas, sempre que houvesse prejuízos para a mobilidade das populações, como é o caso da A24, que, segundo os mesmos, não tem qualquer alternativa viável que consiga assegurar a segurança dos utilizadores. Daí as suas várias intervenções na Assembleia da República em que foram apresentadas diversas propostas contra as portagens, durante os governos PSD/CDS e PS, “as quais foram chumbadas por uma maioria negativa de deputadas e deputados destas três forças políticas”. “O que se impõe, é abolir quanto antes as portagens na A24, pois a sua continuação significa persistir num erro muito negativo para os Distritos de Viseu e Vila Real”, conclui o Bloco, no comunicado.

Menu