AVADOURIENSE defende que é urgente concluir a reativação da Casa do Douro

Foi recentemente constituída a AVADOURIENSE – Associação dos Viticultores e da Agricultura Familiar Douriense, entretanto filiada na CNA – Confederação Nacional da Agricultura, uma estrutura que pretende agregar e representar a realidade da agricultura familiar nos mais de dez mil produtores agrícolas da Região Demarcada do Douro.

Após um arranque “num período particularmente difícil para a agricultura duriense”, devido às dificuldades no escoamento da produção e no rendimento dos agricultores e suas famílias, esta entidade defende que “a pandemia não pode servir de pretexto para concentrar problemas na Região Demarcada do Douro”.

“O apelo, que dirigimos ao Governo e aos demais órgãos de soberania, é que sejam implementadas e concretizadas medidas que permitam aos produtores durienses manter a produção e salvaguardar os seus rendimentos. Convergimos por isso na exigência da plena concretização da Lei nº 73/2019, em particular, na exigência da concretização do processo eleitoral para a Casa do Douro, sem mais desculpas sem fundamento ou outros expedientes atrás dos quais o Governo esconde as suas intenções”, pode ler-se no comunicado.

Segundo a AVADOURIENSE, “ao não promover a plena concretização da Lei nº 73/2019, o Governo está, na prática, a impedir que se concretize uma importante reversão da política da anterior maioria PSD/CDS, que pretendia o desmantelamento e entrega aos privados de uma histórica e fundamental instituição da Região do Douro, que deve servir, em primeiro lugar, os seus produtores. O adiamento da concretização da Lei 73/2019 coloca a ação deste Governo na linha dessa política, e não no caminho de uma política que promova a reconstituição da Casa do Douro como baluarte dos produtores durienses”.

“Depois da grande luta que foi a da recuperação da Casa do Douro, a AVADOURIENSE tudo fará para reforçar a convergência dos produtores durienses na luta por uma Casa do Douro verdadeiramente ao serviço da Região e dos seus produtores”, concluiu.

Menu