Por: Caseiro Marques

A CAMINHO DO ATOLEIRO?

1 – A Inefável esquerda. Quando há semanas atrás se colocou a hipótese, pela primeira vez, de virem a ser reduzidas as propinas que os estudantes pagam no ensino superior, puseram-se-me os cabelos em pé, quando ouvi que essa redução seria igual para todos os estudantes.

Ainda por cima, vindo a proposta do Bloco de Esquerda, comecei por duvidar. Logo nessa altura a minha reacção foi de estupefacção. Porquê? Porque apesar de achar que já pago muitos impostos, que também cobrem as despesas que as propinas não cobrem, se eu ainda tivesse filhos a estudar na universidade, poderia pagar mais alguma coisa do que muitos pais que vivem com dificuldades, na maioria porque ganham menos do que eu. Pensa assim uma pessoa que não é rica, nem de esquerda, como toda a gente sabe, mas sabe o que é justiça social. A justiça é um valor universal e que diz respeito a tudo quanto interessa à vida das pessoas. Por isso entende este liberal que quem pode pagar deve pagar mais do que aqueles que o não podem fazer.

Por isso considero uma asneira completa a proposta que veio a integrar o Orçamento de Estado de reduzir o valor das propinas para todos os estudantes: ricos e pobres. Seria preferível criar mais bolsas de estudo e mais residências para os estudantes necessitados. Senhores e senhoras do Bloco, eu já fui necessitado, paguei propinas antes do 25 de Abril, como se fosse rico, que não era. Eu sei – vocês não sabem, não querem saber, nem vocês ou os vossos filhos alguma vez o saberão – o que é querer estudar e não ter meios. Que raio de gente esta. Parece que não pensam. Ou pensam mal. Já não sei. Se calhar sou eu que estou errado. Mas então haja quem em explique. Mas se as vossas explicações forem como as que a Mariana deu na televisão sobre a questão das reformas para quem tem mais de 40 anos de descontos e sessenta de idade, ficamos a saber o mesmo. Não há explicação!

2 – A cigarra e a formiga. A esquerda continua a exigir tudo e mais alguma coisa. Não se preocupa em saber de onde vem o dinheiro para pagar todas a suas reivindicações, desde as salariais, às comparticipações ou benefícios sociais, descontos para isto e aquilo.

Por exemplo, porque razão, quem emigrou antes de 2015 e queira regressar agora, terá direito a pagar apenas 50% do IRS de quem cá ficou a aguentar a crise e as consequência dela e das medidas que tiveram de ser tomadas e que a mesma esquerda nunca engoliu? Ficámos cá, aguentámos com valores de impostos pesadíssimos, continuámos a manter o país a funcionar, foi á nossa custa que as coisas melhoraram em todo os aspectos e agora vem quem saiu, quem foi tratar da vida por outro lado e recebe um prémio. A que propósito vem esse prémio? Mais uma injustiça com origem na esquerda. Incompreensível.

3 – O Ex ministro da Defesa. Há muito que eu fui escrevendo que o Ministro da Defesa devia ter saído. E também o Chefe do Estado-Maior do Exército. Chegou a hora na semana passada. Mas tudo depois de muito teatro, de muita comédia. E as coisas podem não ficar por aqui. Há muita gente a acreditar que Marcelo e Costa sabiam o que se estava a passar. E, se assim for, então, isto cheira mesmo muito mal. Caminhamos para um atoleiro enorme, onde, infelizmente, todos teremos de mergulhar os pés e, se calhar, mais alguma coisa. E, como diz e repete constantemente, um amigo meu: “E vocês continuam a votar neles!”

Deixe o seu Comentário

Comentário