Arrancou no dia 10 de Agosto a 9ª Bienal Internacional de Gravura do Douro 2018, com inauguração no Museu do Côa (Foz Côa) e terminará a 31 de Outubro.

Este evento conta com a participação de 700 artistas oriundos de 70 países e com a exposição de 1400 obras em 14 diferentes espaços e localidades.

Estiveram presentes cerca de 100 artistas, na sua maioria estrangeiros, nos 3 dias (10, 11 e 12 de Agosto) nos diferentes espaços inaugurados.
No dia 10 e 12 de Agosto, no museu do Côa e do Douro, respetivamente, esteve presente o artista Homenageado, José de Guimarães e o comissário da exposição, António Canau.

Entre os dias 13 e 17 de Agosto, decorreu um Workshop de Gravura Não Tóxica, dinamizado pelo Mestre Fernando Santiago (Porto Rico), em Alijó, com a presença de 15 artistas estrangeiros.

Para além da grande qualidade artística, diversidade técnica e estética, destaca-se a homenagem a José de Guimarães, referência incontornável da Arte Contemporânea Portuguesa.

Locais das Exposições:

-Museu do Côa (Foz Côa) – exposição Geral e exposição Homenagem a José de Guimarães;
-Museu do Douro (Régua) – exposição Geral e exposição Homenagem a José de Guimarães;

-Centro Cultural (Bragança) – a partir de 5 de Setembro;
-Auditório Municipal (Régua);
-Arquivo Histórico Municipal de Chaves (Chaves);
-Espaço Cultural Miguel Torga (S. Martinho de Anta – Sabrosa);
-Teatro de Vila Real (Vila Real);
-Biblioteca Municipal de Alijó (Alijó);
-Piscinas Municipais de Alijó (Alijó);
-Auditório Municipal de Alijó (Alijó);
-Museu do Pão e do Vinho (Favaios);
-Quinta do Portal (Celeirós).