Vidago capital do termalismo durante dois dias

1561

Simpósio “Água e Termalismo em Debate” terá lugar dias 10 e 11 de junho, no Centro de Congressos do Vidago Palace Hotel

Durante dois dias, a água e o termalismo estarão em destaque em Vidago. O Centro de Congressos do Vidago Palace Hotel será palco do simpósio “Água e Termalismo em Debate”, uma iniciativa que reunirá, dias 10 e 11 de junho, os mais conceituados especialistas nesta temática.

Entre outros objetivos, este simpósio pretende ser um espaço aberto ao debate, promoção, informação e esclarecimento da valorização económica do recurso endógeno – água – na sua dupla utilização enquanto nutriente e meio terapêutico, através do recurso água mineral natural.

Painéis como “Hidrologia Médica e Termalismo – A realidade portuguesa e a atualidade internacional”, “Indicações terapêuticas e tradição termal de Chaves e Vidago”, “A importância do Termalismo no Desenvolvimento Turístico da Região” ou “Termas de Portugal – Contexto, Tendências e Oportunidades” são alguns dos temas que reunirão diversos especialistas nas temáticas em debate. As inscrições para o evento são obrigatórias e gratuitas, devendo ser efetuadas no site do Município de Chaves, emhttp://www.chaves.pt.

Ainda no âmbito do programa deste simpósio, no dia 11 de junho, das 15h00 às 16h30, estará aberta ao público, no auditório do Balneário, a Exposição “Águas | Termalismo | Estância Termal de Vidago”, a qual será comentada, no formato de “mesa redonda”, pelos autores dos conteúdos da mesma, recordando o passado, através de uma retrospetiva narrada pelos que protagonizaram, viveram e estudaram o processo do desenvolvimento termal de Vidago.

O certame, organizado pela empresa Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso (EHATB), em parceria com o Município de Chaves, pretende também promover o novo Balneário Pedagógico de Investigação de Práticas Termais de Vidago (BPIPTV) como um centro especializado de referência regional. Trata-se de um equipamento que revitalizará aquela vila termal, um investimento de cerca de 3 milhões de euros (uma obra financiada pelo ON.2 no âmbito do Eixo Prioritário II – Valorização Económica de recursos Específicos, Programa de Ação ECC_PROVERE-AQUANATUR).

Deixe o seu Comentário

Comentário