Subida “atípica” do Douro na Régua causa transtornos

1377

A subida do caudal do rio Douro, “completamente atípica” para um mês de maio, levou à retirada de equipamentos de um bar e loja de artesanato do cais da Régua e suspendeu parcialmente a navegação turística.

Em abril, uma cheia submergiu todo o cais fluvial de Peso da Régua e os edifícios ali instalados.

O responsável pela proteção civil municipal, Manuel Saraiva, disse à agência Lusa que esta é uma situação “completamente atípica” para o mês de maio e referiu que, desde que assumiu estas funções há 11 anos, “nunca se verificou uma situação destes nesta altura do ano”.

Este ano já foi necessário, segundo o responsável, limpar “pelo menos seis vezes” a zona ribeirinha da Régua, desde o cais, à ciclovia ou o parque infantil e sanitários, uma situação que está a causar grandes transtornos.

A subida do rio está também a causar grandes transtornos à navegação turística.

Durante a cheia de abril, a navegação ficou suspensa e foi reabrindo, posteriormente, conforme as equipas da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) foram repondo a balizagem no rio e limpando o lixo flutuante.

Agora, a navegação foi de novo suspensa, nomeadamente as eclusagens nas barragens, podendo os barcos navegar nas albufeiras.

A situação pode normalizar a partir de quinta-feira.

Deixe o seu Comentário

Comentário