Portugal produz cada vez mais azeite, mas consumiu menos em 2015

796

Portugal obteve, este ano, a terceira maior produção de azeite no último século, mas o consumo, que se tem mantido estável nos 7 quilos ‘per capita’, nos últimos anos, sofreu um ligeiro decréscimo em 2015.

De acordo com os dados disponíveis no ‘site’ da Casa do Azeite, o consumo tem-se mantido estável nos últimos anos, em torno das 70.000 toneladas, o que representa um consumo ‘per capita’ de 7,0 kg e “uma nítida recuperação comparativamente ao início da década de 90, em que o consumo ‘per capita’ se situava em 2,6 kg”.

Quanto à produção, atingiu na campanha 2015/2016 as 109.052 toneladas, um aumento de cerca de 79% relativamente à campanha anterior e que representa a terceira maior produção em 100 anos, segundo as estatísticas do INE recolhidas pela Casa do Azeite.

O Alentejo manteve-se como a principal região produtora (73% do total), com 79.344 toneladas, seguindo-se Trás-os-Montes (12%), com 13.092 e Ribatejo e Oeste (5,4%), com 5.887 toneladas.

Portugal encontra-se igualmente entre os cinco principais países exportadores de azeite, tendo vendido ao exterior 129.600 toneladas em 2015, apesar de um decréscimo de 4,4% no volume exportado.

Espanha foi o principal destino da produção nacional, absorvendo 49% do total (63.970 toneladas), seguindo-se o Brasil (25%), Itália (13%) e Angola (3%).

A produção mundial de azeite está concentrada na Bacia Mediterrânica, com oito países europeus a representar quase 70% do total: Espanha, Itália, França, Grécia, Portugal, Chipre, Croácia e Eslovénia.

Os dados provisórios do Conselho Oleícola Internacional, um organismo que representa 95% da produção mundial, sugerem um aumento de 18% para a campanha de 2015/2016 (após as quebras registadas nas duas campanhas anteriores), com um valor estimado de 2.985.500 toneladas.

Deixe o seu Comentário

Comentário