Periscópio: aniversário da UTAD

1349

1 – A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro comemorou na sexta-feira passada o seu 30º aniversário.

Foi um dia de festa que englobou a realização de várias actividades ao longo do dia.

A sessão solene que teve lugar na Aula Magna, como é habitual, mostrou a pujança da UTAD e a importância que este estabelecimento de ensino superior tem tido e continuará a ter para a região e de um modo especial para Vila Real.

Nem sempre, contudo, a cidade conseguiu aproveitar e tirar partido da existência da UTAD e do acervo de saberes que ela comporta.

Ao longo dos anos tem havido tentativas isoladas de estabelecer parecerias, nem sempre bem sucedidas ou levadas até ao fim.

Por um lado há quem afirme que é a Universidade que se fecha, por outro é a cidade que se coloca numa posição de ignorar o que se passa na Universidade.

Os tempos correm de feição para que tudo mude ou pelo menos se possa pensar que, finalmente, cidade e Universidade poderão criar sinergias que a todos beneficiarão, tornando a vida de quem aqui vive, na cidade e na região, e daqueles que nos visitam, aqui estudam, lecionam e trabalham possa ser mais feliz, com maior qualidade de vida. Importante é fazer com que se criem postos de trabalho na região para que aqui se fixem cada vez mais pessoas, se possível os licenciados e os investigadores da UTAD.

Vão conseguir estes desígnios? Não sei. Mas neste momento é importante relembrar aos responsáveis da UTAD e aos representantes do poder político quanto importante é criar massa crítica que possa alterar o estado de coisas que vem de detrás, num virar de costas pouco inteligente, que nada de bom permitiu que se instalasse.

2 – A geringonça e a caranguejola não se entendem. Quem está a querer mudar é o CDS com a mudança de líder. Paulo Portas, como de costume, não soube sair. Um calculista, um oportunista, jogador, um político a sério, no mau sentido, que muda e altera a sua maneira de pensar e de agir conforme as suas conveniências.

Cristas será diferente? Oxalá que sim. É mulher, mãe e com uma maneira diferente de ver as coisas. Pelo menos assim parece. O PSD que se cuide.

Com o discurso que ela está a iniciar a sua presidência à frente do CDS, muita coisa pode mudar. Por isso, os trabalhos de Passos Coelho para se manter à frente do PSD e tentar de novo ganhar umas eleições legislativas pode vir a tornar-se difícil.

O melhor é, no PSD, irem pensando em substituir o líder, até porque António Costa, com o apoio de Marcelo, prepara-se para endireitar a geringonça e fazer com esta chegue ao destino, apesar das reticências, mas a aceitação oportunista do Bloco e dos comunistas, que não deixarão de lhe dar apoio se pressentirem que o PS pode perder as eleições ou ser corrido antes de terminar a legislatura por indecente e má figura, como se tem verificado anteriormente.

3 – Brasil. Que pena. Aquilo que poderia ser um grande país e uma grande potência mundial a dar cartas nos mares do sul, parece que não consegue arrancar para uma democracia verdadeira, um país mais decente. E o curioso é que os últimos acontecimentos, tristes e vergonhosos, vêm da gente da esquerda. Para eles vale tudo como para as gentes da direita. Todo, até roubar. Mas, pensam eles, dizem-no  e praticam-no, como são de esquerda acham que tudo lhes fica bem, julgam que têm superioridade moral sobre a direita e que o povo, por isso se esquecerá das golpadas e jogadas rasteiras para manterem o poder e continuarem a encher os bolsos como têm feito os da direita.

Lá como cá, infelizmente. Até nas tentativas de fugir às responsabilidades e evitar a prisão.

É triste!

Deixe o seu Comentário

Comentário