Peripécia Teatro promove serões culturais em Coêdo

617

Quando o céu aponta a lua redonda, em Coêdo, pequena aldeia de Vila Real, já se sabe: é noite de “Lua Cheia, Arte na Aldeia”. Tem sido assim nos últimos anos e vai ser assim, novamente, este ano, entre Fevereiro e Julho. Ao longo de seis meses a companhia Peripécia Teatro vai organizar serões culturais na antiga escola primária de Coêdo, atual sede da companhia transnacional.

“Faz este ano uma década que nos instalámos na escola primária desativada da aldeia de Coêdo. Quisemos continuar o trabalho, iniciado em 2014, para que a arte extravasasse as paredes dessa antiga escola. Desenhámos assim um ciclo de programação que pode dar um pequeno contributo para o renascer da vida cultural e festiva dos meios rurais”, refere Sérgio Agostinho da companhia Peripécia Teatro.

Ao longo dos próximos meses, a aldeia vai receber diferentes espectáculos de companhias nacionais. A primeira lua cheia deste novo ciclo vai levar a Coêdo a companhia Teatro O Bando com a peça “Ti Miséria”, baseada num conto tradicional galego, a 10 de Fevereiro. Depois, e a 12 de Março, é a vez de “O Inferno Está a Morrer”, da companhia Leirena. Dia 11 de Abril, Didascália apresenta “Prelúdio A Mulher Selvagem” e a 10 de Maio a Acert vai até Côedo apresentar “Um Urso com Poucos Miolos”.

A noite de 9 de Junho será especial, com a projecção ao ar livre do filme “Até ao Canto do Galo” da Peripécia Teatro, primeira incursão da companhia no cinema. A “Lua Cheia, Arte da Aldeia” de 2017 termina a 9 de Julho com o Teatro Regional da Serra do Montemuro e a peça “Exploradores da Serra”. A comunidade é convidada a assistir aos diferentes espectáculos, num ambiente intimista e descontraído. “O preço do bilhete é o farnel Bip”, brinca a companhia: “bebida e petisco”.

 

 

Deixe o seu Comentário

Comentário