Ordem e sindicatos alertam para situação “insustentável” no hospital de Vila Real

895

A Ordem dos Médicos do Norte e o sindicato do setor alertaram hoje para a situação “insustentável” do centro hospitalar sediado em Vila Real devido à falta de clínicos, principalmente anestesistas, e ao adiamento de cirurgias.

Um ano depois de terem chamado a atenção para o risco de “colapso” no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), os representantes do Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos (CRNOM) e do Sindicato Independente dos Médicos – Norte fizeram uma nova visita à unidade de Vila Real.

Miguel Guimarães, presidente do CRNOM, afirmou, esta manhã em conferência de imprensa, que a “situação do CHTMAD é absolutamente insustentável”, destacando como área “mais crítica” o serviço de anestesia, onde disse que “há um grande défice” de recursos humanos.
“De imediato são precisos pelo menos 14 anestesistas. Precisam de 32, mas para já, para já, para não encerrar ainda mais atividades ou ficar reduzidos a um serviço de urgência, são precisos mais 14 anestesistas”,sustentou Manuela Dias, do Sindicato Independente dos Médicos.
Miguel Guimarães acrescentou que, em média, nos últimos quatro meses, foram “adiadas mais de 30% das cirurgias”, ficando estas praticamente reduzidas às oncologias.

A falta de médicos anestesistas está a provocar problemas em outros serviços nomeadamente em urologia que “deu um grito de desespero”. O presidente do CRNOM acrescentou que este serviço conta com apenas três especialistas, que “não dão sequer para assegurar o serviço de urgência”.

Deixe o seu Comentário

Comentário