Olaria Negra de Bisalhães conhece decisão da Unesco a 29 de novembro

1917

O processo de confeção da Olaria Negra de Bisalhães poderá tornar-se Património Cultural Imaterial da Unesco a 29 de novembro. Será nesse dia que a candidatura será debatida pelo Comité Intergovernamental daquela organização, que reúne em Adis Abeba, na Etiópia.

O presidente do Município de Vila Real, Rui Santos, irá liderar uma comitiva que vai deslocar-se à Etiópia para demonstrar o comprometimento da autarquia nesta candidatura. “Vamos à Etiópia com (…)

Em complemento a este processo, a autarquia apresentou um plano de salvaguarda desta arte, orçado em 370 mil euros, que prevê dar um novo impulso à reabilitação e promoção deste património imaterial, impedir a sua extinção, dignificar as condições de trabalho dos oleiros e aumentar a rentabilidade desta arte. “Este plano prevê, em (…)

Rui Santos acredita que a criação de “novos designs e novas utilizações dará um novo impulso a este material”. “Consideramos que esta nossa riqueza, irrepetível e inimitável, faz parte do nosso ADN e do que é ser vila-realense”, rematou.

Leia o artigo completo na próxima edição do Notícias de Vila Real, à venda aqui ou assine a edição impressa ou online aqui.

Deixe o seu Comentário

Comentário