Nova direção da Cruz Vermelha tomou posse

1124

Tomou posse no passado dia 15 do corrente a nova direção da Delegação da Cruz Vermelha (CV) de Vila Real, à qual preside o coronel Joaquim do Cabo Sabino. Este oficial superior do Exército prestou serviço, em diferentes ocasiões, no Regimento de Infantaria 13, em Vila Real , tendo também comandado um Agrupamento na Bósnia.

Acompanham-no os seguintes elementos que irão estar à frente da instituição nos próximos anos: Ten. Coronel Mário Manuel Mourão Pinto, Prof. Gilberto Paulo Peixoto Igrejas, Drª Sofia Margarida Neves Martins, Engº Ricardo Jorge Olímpio Martins, Sr. Hélio Sérgio Teixeira Mesquita, Enfª Alberto Valdemar Asseiro, Drª Maria da Luz Rio Costa, Enfº António Duarte Rente da Silva.

A cerimónia decorreu no salão nobre da Câmara Municipal, sob a presidência de Rui Santos e a presença do presidente e do delegado distrital, respetivamente, Professor Luís Barbosa e Dr. Armando Moreira, que se referiu à Cruz Vermelha como uma instituição que “tem uma obra pública visível e uma obra social invisível”.

Acrescentou que a CV possui 150 delegações locais, e apesar de ter perdido alguns apoios do Estado, com as receitas próprias e as quotas do associados e a colaboração de milhares de voluntários, tem conseguido manter os serviços de apoio à população. Terminou dizendo que o anterior presidente, Cor. Dias Vieira, desempenhou as suas funções como “um homem de cultura e vontade de servir.” Foi-lhe imposta a medalha da CV, pelos serviços prestados ao longo dos anos em que presidiu à CV de Vila Real.

O Cor. Sabino aceitou o repto de presidir à CV e referiu que procurará “ouvir e ver o que se passa noutras delegações e replicar o que for bom e possível.” Prometeu criar outras valências e angariar novos sócios, depois de passar em resumo a história da CV e de realçar o trabalho de Dias Vieira.

A cerimónia, a que assistiram o Cte do RI 13, o presidente da Comarca de Vila Real, Juiz Álvaro Monteiro, além de vereadores, colaboradores da CV e outras entidades, foi encerrada com as palavras de Luís Barbosa, o qual realçou a independência e o equilíbrio da CV, acrescentando que os problemas s e resolvem “pondo um pé à frente do outro e olhando para o topo.”

Encerrou a cerimónia o presidente da Câmara que enfatizou os apoios dados pela autarquia às instituições de solidariedade, para melhorar os serviços que prestam aos mais desfavorecidos.

Deixe o seu Comentário

Comentário