Murça volta a assumir-se como o município mais transparente da CIM Douro

799

No ranking global dos 308 municípios portugueses, a Câmara Municipal de Murça ocupa em 2016 a 22.ª posição na avaliação da transparência municipal realizada pela organização não-governamental Transparência e Integridade, Associação Cívica (TIAC), com uma pontuação de ITM superior aos 89 pontos, em 100 possíveis.

A pontuação obtida, em 2016, coloca ainda Murça como o segundo Município mais transparente do Distrito de Vila real e o primeiro da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro pelo segundo ano consecutivo, representando uma subida de score superior aos 89 pontos relativamente aos 74 registados em 2015.

Murça é ainda um dos 25 municípios portugueses que conseguiram ultrapassar a fasquia dos 85 pontos, designado pela promotora do estudo como classificação positiva (boa), ou seja, toda a informação “determinante” e mais de 50% da “importante” é disponibilizada no seu website oficial. Em 2016 chegou-se a uma pontuação de 89,01, sendo que no caso de Murça ultrapassou os 85 pontos, sendo que a média nacional ronda os 52.

Este estudo avalia a prestação de contas do Poder Local, designadamente a forma como é realizada a divulgação da informação municipal pelas Autarquias. Os resultados foram conhecidos, hoje, dia 8 de fevereiro, numa cerimónia que decorreu na Universidade de Aveiro.

Para o Presidente da Câmara Municipal do Murça, José Maria Costa, “estes resultados comprovam o trabalho e o rigor e nosso o compromisso na disponibilização aos cidadãos, e em especial aos murcenses, da informação relativa à atividade e gestão da Câmara Municipal, estamos comprometidos com a transparência e este é o caminho que pretendemos continuar a seguir”.

Para o autarca de Murça, “a transparência e a integridade são princípios básicos da Democracia que defendemos de forma convicta. Este estudo é o reconhecimento público efetuado por uma entidade independente e que revela a excelente evolução que o Município de Murça tem feito no sentido de prestar uma boa comunicação para o exterior, assente num trabalho sério, rigoroso e transparente com vista a um maior e melhor diálogo, participação e cidadania”.

Este estudo revela que os municípios portugueses estão cada vez mais transparentes. Pelo menos é isso que aponta a quarta edição do Índice de TIAC, que conta nesta edição com a parceria do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, do Instituto Superior Técnico, do Núcleo de Estudos em Administração e Políticas Públicas da Universidade do Minho e do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da Universidade de Aveiro.

Os dados mostram que, em 2016, este índice que mede a disponibilização de informação de interesse público nos websites dos 308 municípios portugueses, obteve uma média de 52 pontos (em 100 possíveis), atingindo pela primeira vez uma média positiva.

Deixe o seu Comentário

Comentário