Marcelo defende unidade de missão para o Douro

1237

Em Trás-os-Montes, o Presidente da República sugere a união de esforços no sentido de melhor aproveitar fundos estruturais para a região.

O Presidente da República arrancou esta segunda-feira com a iniciativa “Portugal Próximo” em Santa Marta de Penaguião, onde defendeu a criação de uma unidade de missão para o Douro.

“Esta é uma ocasião única porque vem aí mais dinheiro de Bruxelas, no âmbito do Portugal 2020, e eu concordo que deve haver uma unidade de missão que olhe especificamente para os problemas do Douro”, afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa deu o início à segunda “edição” da iniciativa “Portugal Próximo” na pequena aldeia de Concieiro, concelho de Santa Marta de Penaguião, onde visitou uma antiga escola primária transformada em habitação social. Recebido por muitas crianças e pessoas mais velhas, o Presidente elogiou a paisagem “muito bonita” da Região Demarcada do Douro.

Por estar em pleno Douro, o chefe de Estado defendeu a criação de uma unidade de missão específica para a mais antiga e regulamentada região demarcada do mundo. O chefe de Estado ressalvou que, depois de 2020, não se sabe se se irá “ter o dinheiro que está para vir agora até 2020”.

Esta estrutura da administração pública teria como missão “saber utilizar bem os fundos que vêm de Bruxelas no Douro, para fazer aquilo que é preciso fazer” e decidir “o investimento que é mais prioritário”.

E nesta região “única, Marcelo defendeu ser preciso valorizar o que esta terra tem de melhor, como os vinhos, e defendeu também ser preciso olhar para os problemas da Casa do Douro, instituição que foi privatizada e para a qual o Governo vai criar uma comissão administrativa para a gestão do património e pagamento da dívida.

Deixe o seu Comentário

Comentário