LADPM quer definir novos roteiros turísticos

1146
Miradouro de São Silvestre, em Mesão Frio

A Liga dos Amigos do Douro Património Mundial (LADPM) realizou no passado dia 5 de Outubro, a primeira de uma série de visitas de estudo a lugares emblemáticos do Douro Património da Humanidade, procurando definir roteiros a propor aos visitantes.

A iniciativa, a que aderiu um número considerável de sócios, abordou o roteiro do Baixo Corgo, que propõe aos visitantes três dos mais representativos miradouros, dos concelhos de Mesão Frio, Régua e Armamar.

Tendo como ponto de partida o marco ─ Feitoria de Alma ─  símbolo de concelho integrante da área classificada pela UNESCO situado entre as pontes que atravessam o Douro na Régua, o roteiro conduz a Mesão Frio, e ao miradouro subjacente de S. Silvestre. Primeiro promontório.

No Alto Douro Vinhateiro, a 530 metros de altitude, de onde se divisa o rio que rodeia o monte, e em primeiro plano a Vila de Mesão Frio, com o seu casco monumental de antigos e belos palácios e igrejas, que se espraiam pelo Vale. Vista panorâmica, que contraria o que se diz da toponímia da sede do Concelho, como sendo um “maison fria”, com que os passantes nos tempos da ocupação romana teriam caraterizado o local.

Daqui, o roteiro, por estradas interiores, leva-nos por Vila Marim, Sedielos, Mouramorta e Oliveira até Loureiro, ao Miradouro de Santo António, de onde se divisa o Douro em todo o seu esplendor: olhando para nascente e sul a cidade da Régua, onde o Douro – agora ancorado –, se assemelha a um grande lago. Já ao longe, para norte, Vila Real com o seu viaduto majestoso (o mais alto da Europa!), e para sul a Serra das Meadas e a Senhora da Remédios, afinal, ali tão perto.

Descendo os 500 metros até Peso da Régua, atravessado o Douro, com paragem numa das mais belas Quintas do Vale de Cambres, para almoçar ─ e que bela refeição ─ há que retomar o roteiro, rumo ao último Miradouro desta jornada. No Concelho de Armamar, o Miradouro de S. Domingos, uma verdadeira surpresa. De facto, as estradas de acesso são magníficas, mas a sua deambulação pelos vales e aglomerados populacionais que se vão atravessando, não deixam antever, que de repente, a cerca de 750 metros de altitude, e com uma vista soberba sobre o rio, a cidade da Régua logo ali em baixo, e lá ao longe, S. Leonardo de Galafura, Poiares e até onde a visita alcança, os Municípios de Tarouca, Lamego, Resende, Mesão Frio, Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real e Sabrosa, sobressaindo como alcançável de forma amistosa a imponente Serra do Marão.

Já se conhecem referências das romarias medievais, à ermida que aí encontramos, em 1163. A este Roteiro do Baixo Corgo, seguir-se-ão os Roteiros de Cima Corgo e do Douro Superior. Cada um deles, com pelo menos três Miradouros emblemáticos.

Uma experiência que, depois de testada, irá ser oferecida aos operadores turísticos da região e nacionais, para que o Douro possa ser usufruído cada vez por mais gente e em melhores condições.

Uma forma que a LADPM encontrou de oferecer o que melhor tem o Douro em termos de paisagem. Que nos cumpre preservar, no âmbito das obrigações que a UNESCO consigna, ao declarar o Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial.

Deixe o seu Comentário

Comentário