Incubadora de empresas com ocupação superior a 80%

1258

A funcionar há cerca de um ano a Incubadora de Empresas do Regia Douro Park, em Andrães, Vila Real, já tem uma ocupação de mais de 80%. São empresas de diversas áreas que ali estão instaladas e que têm aproveitado as sinergias para crescer e desenvolver projectos.

Quando a Incubadora e Aceleradora de Empresas do Regia Douro Park, Parque de Ciência e Tecnologia de Vila Real, abriu portas não havia metas estabelecidas, mas o sucesso aconteceu mais rapidamente “do que inicialmente se tinha pensado”.

Foi há cerca de um ano que as empresas se começaram a instalar e neste momento o balanço já “é muito positivo”, disse Nuno Pinto Augusto, director do Regia Douro Park. “Nesta fase temos cerca de 30 empresas instaladas e mais de 90 pessoas a trabalhar todos os dias”.

“Sabemos que é um trabalho que é preciso alimentar todos os dias, com novas dinâmicas, mas hoje, atendendo ao que se passou nos últimos meses, com certeza que ultrapassamos todas as expectativas”. A forte dinâmica que se criou entre as empresas tem conseguido um crescimento elevado e aumento no volume de facturação e no número de trabalhadores “mais rapidamente do que se poderia inicialmente pensar”, referiu o responsável.

Com uma ocupação de mais de 80% os responsáveis já estão a projectar o alargamento da incubadora aceleradora. “Queremos dar um passo de cada vez, mas temos que elaborar o planeamento para quando houver oportunidade de candidatar o crescimento temos esse trabalho de casa feito”, afirmou.

Na incubadora estão instaladas empresas de áreas muito diversas. Ligadas à promoção e desenvolvimento, empresas ligadas a consultoria, vinho e à vinha ao turismo e empresas tradicionais de engenharia e arquitectura e também empresas da área das novas tecnologias, “o que nos satisfaz bastante”. Uma área sem grande relevância na região e que por isso assume especial importância por ser um sector que “tradicionalmente não há cá”. As novas tecnologias são uma área que está em forte crescimento e que tem tido grande procura, o que “acaba por ser um reconhecimento do trabalho deles mas também do próprio Parque”, frisou.

Nuno Pinto Augusto destaca também duas empresas diferenciadoras que escolheram a Incubadora do Regia para desenvolver a sua actividade, uma “relacionada com a prevenção de fogos e outra de controlo de qualidade em cosméticos e promoção de essências para perfumes”.

 

Relação estreita com a UTAD

 

A incubadora de empresas está inserida no Parque de Ciência e Tecnologia de Vila Real, promovido pelo Município de Vila Real, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e pela Portuspark – Rede de Parques Tecnológicos e Incubadoras. Daí que a UTAD tenha um forte relacionamento com as empresas que ali estão instaladas. Quase todas as empresas têm antigos alunos da universidade transmontana, que tem sido, aliás, o principal impulsionador do tecido empresarial na região.

A Incubadora e Aceleradora de Empresas pretende ser o polo de apoio a empreendedores com ideias de negócio e empresas em início de atividade, com predominância para as startup tecnológicas. Disponibiliza gabinetes empresariais pré-equipados, acesso à rede de comunicação de alta velocidade, espaços de networking, salas de reuniões partilhadas e serviços de apoio ao sucesso empresarial.

“A incubadora tem condições para proteger as empresas quando são mais débeis, que é na fase de implementação e criação do negócio. Aqui há um ambiente saudável, empresarial, respira-se actividade económica e desenvolvem-se muitos trabalhos em conjunto”. Neste polo empresarial as empresas, que noutros locais são concorrentes, tornam-se, muitas vezes, parceiras facilitando o desenvolvimento de projectos.

Deixe o seu Comentário

Comentário