Fernando Santos recebeu Honoris Causa e inaugurou campo sintético

909

Fruto de um protocolo entre a UTAD, a Câmara Municipal de Vila Real, a ADC Diogo Cão e a Associação de Futebol de Vila Real, foi instalado no Campus da UTAD um campo de relva sintética que será usado de forma partilhada entre todas estas instituições.

A Câmara Municipal assegurou a comparticipação nacional deste investimento, que foi inaugurado pelo Selecionador Nacional de Futebol Fernando Santos, após ter sido distinguido com o grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, na área do desporto, numa cerimónia que decorreu em Vila Real.

Com a atribuição deste importante grau honorífico, a UTAD pretende homenagear o seu percurso profissional na atividade desportiva e, mais recentemente, os resultados obtidos pela seleção nacional no campeonato da Europa de futebol, realçando os valores desportivos que tem vindo a aplicar e a incentivar, e que lhe permitem deixar uma marca na história do desporto português.

O engenheiro de formação, agora doutor, reconheceu que não compreendeu, num primeiro momento, a razão para o convite. “Tive muita dificuldade em aceitar, nada me ligava a Vila Real nem à universidade e não entendia bem porquê”, referiu o selecionador, que mais tarde, por insistência do amigo, hoje padrinho de doutoramento, o médico Manuel Pinto Coelho, resolveu aceitar a distinção.

Relativamente ao campeonato da Europa 2016, o selecionador nacional recordou o percurso que o levou à final, desde que foi contratado por Fernando Gomes, sem esquecer a ajuda divina, ou não fosse ele um homem de grande fé. “Muitos podem pensar que foi sorte, que foi milagre. Sim, sorte e milagre existem, mas dão muito trabalho para se fazer. Em França não éramos 23, mas sim 70, que durante 51 dias poucas horas dormimos. Todos juntos conseguimos o que 99,9 % das pessoas considerava irreal ou impossível. Mas atenção que ainda temos muito para fazer”, advertiu, agradecendo por fim à família, mas também a todos os dirigentes, jogadores, equipa técnica e colaboradores que trabalharam afincadamente durante o torneio.

Fontainhas Fernandes, Reitor da UTAD, destacou a ilustre figura do selecionador nacional, quer pelos feitos de excelência ao serviço da seleção de todos nós, quer pelos seus princípios humanos. “Este Honoris Causa é um reconhecimento público aos que se dedicaram a esta área do conhecimento. São uma oportunidade para refletir sobre o futuro, sobre os valores fundamentais do desporto”, referiu.

O técnico iniciou a sua carreira de jogador no Operário da Graça, em 1970/71, passou pelo Benfica e pelo Marítimo e, em 1987, assumiu a condição de treinador do Estoril-Praia. Seguiram-se Estrela da Amadora, FC Porto, Sporting, Benfica, AEK Panathinaikos e PAOK, todos da Grécia.

Em 2010, aceitou o convite para orientar a seleção grega e, em setembro de 2014, foi apresentado como treinador da seleção portuguesa, conseguindo a qualificação para o Euro2016. Em 2016, sob a sua liderança técnica, a seleção nacional sagrou-se campeã europeia. Fernando Santos tornou-se no 10.º doutor ‘honoris causa’ da universidade transmontana, passando, segundo o reitor, a “estar ligado para sempre à história desta universidade”.

Deixe o seu Comentário

Comentário