Distúrbios e atos de vandalismo na Supertaça de basquetebol

844
Foto: Luis Teixeira

O Pavilhão dos Desportos de Vila Real recebeu, no passado domingo, a Supertaça de basquetebol entre o FC Porto e o Benfica. Houve festa dentro de campo e nas bancadas, mas nas imediações do pavilhão viveram-se momentos de aflição.
Junto aos postos de venda da loiça de Bisalhães, várias dezenas de peças de loiça de barro ficaram destruídas depois da passagem, por aquele local, de adeptos que, alegadamente, não terão conseguido bilhetes para assistir ao jogo. Foram ainda arremessadas várias garrafas e pedras da calçada durante os confrontos entre os adeptos das duas equipas.
Um dos oleiros que estava no local foi Sezisnando Ramalho, de 81 anos, que terá passado momentos de aflição. “Foi um susto enorme. Apercebeu-se de que havia dois grupos em confrontos e, sem dar por ela, já estavam ao pé dele a arremessar tudo o que vinha à mão”, contou o filho Jorge Ramalho, também oleiro. Foram destruídas “à volta de 70 a 80 peças decorativas, mais uma meia dúzia de peças maiores”. “Tinha ali peças exclusivas e outras prontas para responder a encomendas que agora não sei se vou conseguir cumprir”, lamenta Jorge Ramalho.
Várias testemunhas falam em “várias dezenas de pessoas a arremessar loiças em todas as direções”. “Cheguei a temer levar com algum caco. Parecia um cenário de guerra”, sublinhou uma das testemunhas. Segundo a Polícia de Segurança Pública, foram elaborados três autos de notícia por distúrbios e danos provocados durante o jogo. Antes do início do jogo, foi detido um jovem de 20 anos, residente na zona do Grande Porto, por ter tentado entrar no pavilhão com um bastão extensível e uma tocha explosiva.

Deixe o seu Comentário

Comentário