Da Outra Margem: Alumni – Uma marca das Universidades

543

A atual conjuntura económica e financeira não permite um aumento do contributo financeiro dos estudantes e das suas famílias, dificultando a opção por modelos de financiamento que permitam atenuar a redução do financiamento público do ensino superior. Perante este cenário, os antigos estudantes podem assumir um papel reforçado no futuro das instituições, designadamente na procura de financiamentos alternativos, quer para o funcionamento das instituições, quer no delineamento de estratégias de promoção do sucesso académico e mesmo de apoio ao estudo dos atuais estudantes.

Indubitavelmente, os alumni são um dos principais embaixadores e parceiros das Universidades. Como tal, é desejável que assumam um papel decisivo no desenvolvimento pessoal dos atuais alunos, intervindo na melhoria dos conteúdos da oferta educativa e apoiando no ajustamento do perfil da oferta à evolução das necessidades do mercado de trabalho. Por outro lado, podem participar em dinâmicas de empregabilidade dos atuais estudantes, quer pela aproximação dos empregadores aos jovens licenciados, quer de angariação de estágios e de envolvimento em programas de mentoria.

Mas, a sua intervenção pode ser mais proactiva e envolver dinâmicas inovadoras, que passam pelo apoio dos atuais estudantes com dificuldades financeiras. Foi neste contexto, que recentemente a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro lançou o conceito de vinhos de autor “alumni Utad”, vinhos produzidos por antigos estudantes e cujas receitas se destinam aos serviços de ação social.

O conceito da marca vinhos de autor “alumni Utad” foi divulgado no roteiro do Presidente da República no passado mês de julho, numa sessão que contou com antigos alunos ligados ao sector. Este conceito de vinhos de autor considera que, todos os anos, antigos alunos da UTAD das diferentes regiões vitícolas sejam responsáveis pela produção de um vinho (um Tinto, um Branco e um Porto). Os autores escolhidos na primeira edição foram Jorge Serôdio Borges (Tinto), Jorge Moreira (Branco) e Francisco Ferreira e Francisco Olazabal (Porto), os quais indicaram os colegas que vão produzir os vinhos na próxima edição.

Em síntese, os antigos estudantes são um dos principais ativos da Universidade nas suas dimensões e, como tal, devem ser chamados a desempenhar um papel mais interventivo no Futuro das instituições. O prestígio dos diplomados, evidenciado pelo seu sucesso profissional e pessoal, testemunha a qualidade de ensino e de investigação de uma Universidade.

* Reitor da UTAD

Deixe o seu Comentário

Comentário