Chaves: Investimento de três milhões prestes a abrir ao público

1056

O município de Chaves vai abrir, dentro em breve, o novo balneário termal da vila de Vidago, um investimento de cerca de 3 milhões de euros. Instalado na antiga estação ferroviária, o Balneário Pedagógico de Investigação e Desenvolvimento de Práticas Termais de Vidago será uma âncora para a região e uma aposta estratégica no setor do turismo.

Além de pretender tornar Chaves um destino termal de excelência em Portugal e na Península Ibérica, a construção deste novo equipamento em Vidago permitirá criar novos postos de trabalho, novos negócios, fixar população e dar um novo impulso a Trás-os-Montes.

Entre o balneário de Chaves (requalificado e renovado no ano passado) e o novo equipamento de Vidago haverá um aumento significativo da oferta termal no concelho, destacando-se igualmente a componente pedagógica deste novo equipamento incorporada no seu programa funcional.

A gestão do novo balneário de Vidago ficará a cargo da empresa municipal Gestão de Equipamentos do Município de Chaves, EM-SA, que gere as Termas de Chaves. Recorde-se que em 2012, a Câmara de Chaves e a UNICER assinaram um protocolo de cedência de águas minerais naturais gasocarbónicas, provenientes da nascente de Vidago, destinadas à exploração do novo balneário.

Implantado paralelamente à Estrada Nacional 2, este balneário é constituído por um conjunto de edifícios interligados, englobando a remodelação do edifício principal da antiga estação de Vidago e o hangar de mercadorias. Numa ala, serão desenvolvidas as práticas terapêuticas, onde estão localizados os vestiários, ginásio de reabilitação e fisiatria, compartimentos para massagens secas, compartimentos para tratamentos termais, banhos de hidromassagem e duches Vichy, duches de agulheta e duche circular. Na outra ala, estará a área de atendimento, setor clínico, gabinetes médicos e de enfermagem, auditório/sala de exposições e café/bar com uma pequena esplanada. No edifício principal da antiga estação, a única construção com dois pisos, estarão as zonas administrativas e de apoio pedagógico: a direção, serviços administrativos, salas de formação, arquivo e sala de bastidores/informática.

A obra foi financiada aproximadamente a 83% pelo ON.2, no âmbito do Eixo Prioritário II – Valorização Económica de recursos Específicos.

 

Vidago será capital do termalismo durante dois dias

Durante dois dias, a água e o termalismo estarão em destaque em Vidago. O Centro de Congressos do Vidago Palace Hotel será palco do simpósio “Água e Termalismo em Debate”, uma iniciativa que reunirá, dias 10 e 11 de junho, os mais conceituados especialistas nesta temática.

Entre outros objetivos, este simpósio pretende ser um espaço de debate e promover a valorização económica do recurso endógeno – água – nas suas várias vertentes: a água mineral natural e água termal.

Painéis como “Hidrologia Médica e Termalismo – A realidade portuguesa e a atualidade internacional”, “Vocações terapêuticas e tradição termal de Chaves e Vidago”, “A importância do Termalismo no Desenvolvimento Turístico da Região” ou “Termas de Portugal – Contexto, Tendências e Oportunidades” são alguns dos temas que reunirão diversos especialistas nas temáticas em debate.

Ainda no âmbito do programa deste simpósio, no dia 11 de junho, das 15h às 16h30, estará aberta ao público, no auditório do Balneário, a Exposição “Águas | Termalismo | Estância Termal de Vidago”, a qual será comentada, no formato de “mesa redonda”, pelos autores dos conteúdos da mesma, recordando o passado, através de uma retrospetiva narrada pelos que protagonizaram, viveram e estudaram o processo do desenvolvimento termal de Vidago.

O simpósio é organizado pela empresa Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso (EHATB), em parceria com o Município de Chaves.

 

Investimento dos últimos três anos em Vidago ultrapassa os 5 milhões de euros

Saliente-se que o município de Chaves tem vindo a desenvolver várias iniciativas visando potenciar as especificidades turísticas e termais da vila de Vidago, tendo em conta os recursos endógenos associados às águas termais e à riqueza paisagística e arquitetónica de Vidago. Entre elas, constam ações que pretendem promover a reabilitação urbana e paisagística, bem como a melhoria da urbanidade, através da criação de espaços públicos de qualidade e da construção de equipamentos públicos prestadores de serviços na vertente do turismo e do termalismo.

A título de exemplo, recorde-se a “Requalificação da envolvente do Aquanatur” – que requalificou as Alamedas Conde Caria, António Viana, Teixeira de Sousa, a Rua João Oliveira e envolvente da estação – a obra de remodelação do edifício para a instalação do Museu João Vieira – Casa Bonifário Alves Teixeira e a “Vidagus Termas” – que requalificou dois edifícios anexos à Antiga Estação de Caminho-de-ferro de Vidago para funções administrativas e expositivas.

Deixe o seu Comentário

Comentário