Cereja de Resende com quebra entre 55 e 60% na produção

1603

As condições climatéricas verificadas este ano, sobretudo o excesso de chuva, terão provocado uma quebra entre 55 e 60% na produção de cereja de Resende, no norte do distrito de Viseu, disse à agência Lusa um produtor.

“Se o tempo que está agora se mantiver, a qualidade é boa. Mas é pouca cereja, muito pouca”, lamentou o presidente da associação de promoção CER Resende — Cerejas de Resende, Rogério Silva.

Segundo o produtor, que tem cerca de 24 hectares de cerejeiras, o frio e a chuva, mas sobretudo a última, destruíram grande parte da produção.

 

A Câmara de Resende está a preparar para o fim de semana de 28 e 29 a 15.ª edição do Festival da Cereja, que reunirá mais de uma centena de produtores locais.

“Ainda temos 12 dias e em 12 dias a cereja desenvolve muito rápido se estiver quente, mas paralisa se estiver frio. Se houver chuva, isso então é que vai ser um problema”, disse Rogério Silva.

O festival apresenta este ano como novidade o concurso “Melhor doce/bolo de cereja de Resende”, que pretende incentivar a criação de uma iguaria “que identifique o concelho como produtor da melhor cereja, de forma a valorizar a cereja e promover o empreendedorismo na transformação do produto”.

Este concelho produz, “em média, 3.500 toneladas de cereja, representando um quarto do total da produção nacional”, acrescenta.

Deixe o seu Comentário

Comentário