Capital da Cultura do Eixo Atlântico, programação

834

 

Já foi apresentada a agenda de Maio e Junho da programação de Vila Real Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

Esta é uma oportunidade de juntar numa agenda comum as múltiplas actividades que a cidade vem organizando, deixando assim ainda mais patente o seu dinamismo. Este dinamismo foi, de resto, precisamente a razão para Vila Real ter sido escolhida para Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

A Capital da Cultura é também uma oportunidade para divulgar e promover a programação cultural dos diferentes agentes e produtores vila-realenses numa vasta região do Norte de Portugal e na Galiza. A agenda será divulgada online em todas as cidades do Eixo, portuguesas e galegas (e noutras zonas da Península), estando fisicamente presente em vários pontos-chave, por exemplo no Turismo do Porto e em aeroportos da Euro-região.

A programação procura ser uma mostra da criação artística das cidades do Eixo, como define o regulamento da Capital. Assim, depois de na pré-programação de Abril se terem apresentado várias companhias de teatro e dança do Norte, em Maio e Junho há vários momentos de intercâmbio cultural entre Portugal e a Galiza:

– A 14 de Maio, realiza-se o 1.º Encontro Euro-Regional de Música e Artes Cénicas, que junta as seis universidades públicas do Norte de Portugal e da Galiza.

– O projecto Cultura Que Une, que integra diversos agentes locais e equipamentos municipais, tem durante o mês de Maio inúmeras acções, que passam pelas artes plásticas, a música, o teatro, a literatura e a gastronomia, culminando com um concerto da célebre cantora galega Sés.

– O Shortcutz Express Vila Real apresenta ‘À Raia’, uma mostra de cinema ibérico.

– A companhia Sarabela Teatro, de Ourense, traz a palco a sua encenação de ‘Ensaio Sobre a Cegueira’, de José Saramago.

– O colectivo Calhau e o grupo Cronópios e Famas inspiram-se na poesia do galego Pablo Fidalgo Lareo para uma produção a ser apresentada no terceiro momento do Projecto Capella.

– A XI Bienal de Pintura do Eixo Atlântico, que inclui artistas emergentes de ambos os lados da fronteira.

Naturalmente, a programação não se esgota nestes projectos e mantém as iniciativas habituais que caracterizam a actividade cultural ao longo do ano.

São mais de 30 os promotores de eventos (desde os equipamentos municipais a outras instituições, associações, cooperativas e privados).

Ao todo, em Maio e Junho, são mais de 120 eventos.

Os eventos decorrem em 19 locais diferentes da cidade e fora dela.

 

Deixe o seu Comentário

Comentário