APAV lança campanha de prevenção de abusos sexuais de crianças e jovens

600

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) lançou ontem uma campanha de prevenção de abusos sexuais de crianças e jovens, apelando à denúncia deste crime, para que possa ser investigado e a criança apoiada.

A campanha foi lançada no dia em que a APAV apresentou o projeto CARE, uma rede de apoio especializado a crianças e jovens vítimas de violência sexual que apoiou, desde que foi criada em janeiro, 103 crianças.

Em declarações à agência Lusa, o gestor da Rede CARE, Bruno Brito, explicou que “um dos objetivos da rede, além do apoio, é sensibilizar a comunidade de que estes crimes existem e devem ser denunciados de modo a que possam ser investigados e as crianças apoiadas”.

“A campanha terá o propósito de não haver um silêncio dos crimes”, sensibilizando para os seus efeitos nas crianças e famílias e dando a conhecer “alguns sinais envolvidos na violência sexual”, para que sejam denunciados, disse Bruno Brito.

Outro dos objetivos da campanha é que pessoas compreendam que podem confiar “no sistema como uma solução para o problema criado”, explicou.

 

(…)

“Há casos que são preocupantes e que nós sabemos que não estão a ser denunciados e que deveriam de ser”, sustentou o responsável, explicando que são crimes que, na maior parte das vezes, ocorrem dentro da família e que a sua revelação irá provocar a desestruturação da família.

Esta situação é “difícil de perceber para as famílias, mas elas têm de entender que é o superior interesse da criança que está em jogo e que se o crime não for denunciado os efeitos a longo prazo serão sempre mais nefastos”, frisou.

Para o gestor da rede, é preciso sensibilizar a comunidade para que “o que estes crimes podem provocar, o que está em risco e o que é que o sistema de apoio à vitima e o sistema judicial podem fazer por estas famílias e por estas crianças”.

Uma das missões da rede é prestar apoio jurídico, informando sobre como interagir com o sistema judicial, apoiando na apresentação de queixa ou na realização de pedido de indemnização e até no acompanhamento em diligências.

 

Deixe o seu Comentário

Comentário